29 abril 2011

Tchau preguiça. Tchau sujeira

Essa coisa de banho não me agradava muito não. Quando eu tava na maternidade, aquelas moças de branco me deixavam irritado. Sei que elas tinham cuidado comigo, afinal sempre tinha alguém da família olhando, mas aquela água toda me incomodava muito.

Aí eu cheguei em casa e foi minha dinda que deu o meu primeiro banho. Ela foi muito boazinha comigo, mas me colocou naquele negócio branco enorme e eu chorei muito, e foi assim por vários dias com a minha mãe me dando banho. Engraçado que meu pai nunca me deu banho, será que é medo ou ele não gosta muito?

Preparação para o banho

A água é quentinha, o sabonete é cheiroso, tem até xampu. Mamãe faz carinho e conversa comigo. Ela nunca fez igual as moças da maternidade, sempre lava tudo de uma vez, acho que ela não tem muita paciência para lavar minha cabeça, depois tirar o resto da minha roupa e só aí lavar meu corpinho. Mamãe é prática.

Fui me acostumando com a coisa, afinal depois daquela água e sabonete, eu fico cheiroso e beeem relaxado. Então decidi conversar com a mamãe ultimamente e até fazer pose caso o papai apareça com a câmera fotográfica.
Depois do banho. Já terminou?

Tem dia que a mamãe coloca talco em mim e fico branquinho, outros dias ela passa um hidratante e faz um carinho gostoso no meu corpinho. Eu gosto. Ela penteia meu cabelo por um tempão, deve achar que fico bonitinho com o cabelo de lado. Depois ela fica me enchendo de beijos e cheirinhos e fala que eu sou o bebê mais lindo do mundo. Geralmente depois de tudo isso todo um mamazinho e durmo gostoso por um tempão. É muito legal!!!

Mamãe torce para que eu goste de água, já que ela é medrosa e quase não entra na piscina. Ouvi ela falando que tenho que aprender a nadar bem cedo. Parece que o Papai vai me ensinar. Eu acho que vou gostar.

Assinado: Dudu

Hora boa!

28 abril 2011

Abandono de bebês

Você, como eu, deve estar perplexa com as inúmeras notícias sobre abandono de bebês, não é mesmo?

Entre decidir ter um filho e engravidar, passei por um processo de dúvidas, sempre me questionei se teria condições financeiras, se meu companheiro seria um pai, um era o meu momento, enfim foi uma decisão muito bem pensada, construída e aceita. E tudo isso me fez aceitar as mudanças (físicas, psicológicas e financeiras), curtir cada fase e amar muito aquele ser que estava em meu ventre.

Entendo que nem todas mulheres passam por isso, muitas abreviam suas histórias e engravidam sem pensar por vários motivos. Aí é um passo para um filho não esperado e querido. Sei das diferenças sociais de nossa sociedade, sei das diferenças culturais e educacionais. Sim, não estou alheia a tudo. O que não consigo compreender, e confesso que já tentei por inúmeras vezes, o que leva alguém a preferir abandonar do que entregar um filho para adoção. Por que descartar esse pequeno ser como um objeto que não se quer mais e impor o risco da morte? 

Todas essas notícias me fazem chorar muito e tenho certeza que magoam  muita gente que tem um coração.Olho para meu filho e vejo em seus olhos toda sua inocência e incapacidade de se virar sozinho. Todos sabem que é trabalhoso cuidar de uma criança, o choro contínuo realmente irrita, mas nada nesse mundo justifica rejeitá-la tal forma que coloque sua vida em risco.

E essas crianças já nascem rejeitadas, e sabemos o quanto isso dói. O que nos consola é que há inúmeras famílias que anseiam por um filho e qualquer uma dessas fariam um lar feliz. Que poderiam dar a elas carinho, afeto, aconchego e proporcionando assim a essas crianças um patrimônio afetivo para toda a vida. Então por que escolher proporcionar felicidade?

Talvez vergonha da família, dos vizinhos, talvez. Talvez por que nessa pessoa não nasceu o sentimento gostoso de acalentar e proteger que toda mãe tem. Talvez porque o processo de adoção não é de conhecimento de todos e muitos não sabem que essa é uma escolha sem grandes questionamentos para quem o faz. Porém, muito mais vergonhoso é ser apontada na rua e nos meios de comunicação como deshumana, monstro ou qualquer adjetivo ruim. 

27 abril 2011

Piada de muito mau gosto

Só tive conhecimento do assunto através do Twitter nessa semana, mas o quadro do “Comédia MTV” exibido há cerca de um  mês, só ganhou repercussão agora. Trata-se de um vídeo chamado “A casa dos Autistas” produzido e encenado por humoristas da MTV.

Como profissional de comunicação apoio a liberdade de expressão a todos e sou a favor da comédia "para um mundo menos sério", mas como tia de um adolescente autista achei tudo isso uma "piada de péssimo gosto". Isso porque o vídeo desenha o autista como um lunático, e mesmo classificado como humor, o vídeo está bem distante do que fazem mestres como Chico Anísio, Tom Cavalcante, Jô Soares e outros mais.

Já é difícil acabar com o preconceito e a falta de informação sobre o assunto, e ainda tentar socializar o autista e vem uma emissora tão respeitada como a MTV e dá um fora desses. O fora foi tanto que até o humorista Marcelo Adnet se desculpou pelo Twitter de tal vídeo. 

Triste, muito triste.

-----------------------------------------------------------------------------------

Poderia até postar o vídeo aqui, mas me recuso a dar mais audiência...
Quem tiver interesse, corre lá no Youtube.

26 abril 2011

Superestimulação

Dudu é um bebê tranquilo e nem sou tão neurótica com sua rotina. Claro que ele tem alguns momentos de choros, mas geralmente são resultados de fome ou sono.

E na quarta-feira fomos para a casa da Vovó Cris no litoral norte. Marido conseguiu trabalhar apenas meio período e saímos de Sampa no horário do almoço, estratégia para driblar o trânsito e aproveitar o feriadão. Como estava muito calor, dei um banho no pequeno, o mamazinho e fomos. No caminho tudo certinho, Dudu gosta do barulhinho e balanço do carro e dorme que é uma beleza.

Chegando no condomínio, tive que improvisar e cobrir o bebê conforto com um lençolzinho por causa do sol forte. Descobrimos o Dudu já dentro de casa e ele assustou, talvez pela casa diferente ou porque não me viu logo, enfim, fez a carinha mais medrosa do mundo, beicinho e chorou sentido. Foi preciso conversar muito e acalententá-lo para que ele se acalmasse.

O clima tava ótimo para nós, mas para um bebezinho acostumado com o clima maluco de Sampa, tava um forno. Essa mudança o deixou com um gripe leve e narizinho congestionado, além de um bebê chorão e muito manhoso. E nos dias que ficamos lá, o chororô era constante, assim como a quantidade de colos para embalá-lo. Trouxe para casa um bebê muito diferente, manhoso e exigente. Nada que fazíamos o acalmasse, a não ser um colinho, deixando papai e mamãe estressados.

Confesso que nunca dei muita para essa história de "estranhar o local e superestimulação", mas depois da experiência do feriadão acredito quer isso afetou meu bebê. E essa certeza constato hoje, depois de dois dias em casa e de volta à rotina, meu Dudu voltou a dormir sozinho, a sorrir mais e a chorar apenas quando algo o incomoda.

25 abril 2011

Não tenho roupa

Se o marido já não aguentava mais ouvir a famosa frase: “Não tenho roupa!!!”, agora  ele nem dá mais bola ou finalmente passou a acreditar em mim..

Desde que me descobri grávida adotei as famosas lingerie de algodão (grávidas apresentam maior sensibilidade e propensão a alergias de pele), e evitei calças apertadas. Já vestidos foram meus companheiros por toda minha gestação, muitos eram mais soltos, permitindo colocar uma faixa  e até mesmo um cinto para  um desenho no barrigão.

É claro que comprei peças específicas de grávidas e a época do ano (outono/inverno) favoreceu o uso de leggings e calças bailarinas para disfarçar as meias de compressão (hor-ro-ro-sas). Além do inchaço pós-parto, que fez com que continuasse usando roupas de gestante por um tempo, passei a ter que me preocupar com a segurança do meu bebê. Então, temporariamente, blusas com zíperes, tachas, botões estão fora de cogitação para não machucar o bebê quando o seguro no colo e no sling. Evito ainda brincos pendurados, colares (que os bebês adoram puxar), perfumes (nem preciso dizer porque) e saltos altos (esse item acho que até desacostumei).

Mas agora que o inchaço foi embora e a barriga que estou é essa mesma que me resta (céus!), constato que não tenho nada além das antigas roupas de grávida. E daqui há alguns meses voltarei a trabalhar, o que exige que providencie peças sociais. Enfim, novamente e mais uma vez: a frase da vez continua a mesma: “Não tenho roupa!!!”

24 abril 2011

Feliz Páscoa

Que nessa Páscoa você ganhe muito chocolates, mas principalmente muito amor, carinho e confraternização.

A 1ª Páscoa do Dudu

Passamos o feriado de Páscoa no litoral. Saímos de Sampa na quarta-feira para evitar o trânsito excessivo e aproveitar mais um dia de folga.

Foram belos dias de sol, na verdade o calor estava muito forte mesmo na sombra e o Dudu, que já estava com o nariz congestionado, pegou uma gripe chatinha. Resultado: muito descongestionante, inalação e um bebê extremamente chorão.

E para registrar a primeira Páscoa do meu pequeno, que não ganhou chocolate, mas ganhou presente, segue uma foto com sua roupa especial para a ocasião: laranja, azul e de coelhinho...

20 abril 2011

Eu testei: serviços para bebês - Shop. Bourbon

No último sábado fizemos um programa bem familiar: fomos almoçar no Shopping Bourbon Pompéia.

E como passaríamos um tempo considerável no local, peguei emprestado um carrinho para transportar o Dudu. Muito mais simples que o nosso, o carrinho quebrou um galhão, afinal o pequeno está cada dia mais pesado e nem sempre carregá-lo no sling é confortável para minhas costas. Para mães que como eu tem um bebê pequeno, caso ele queira tirar uma soneca, vale levar um travesseiro ou algo para improvisar porque faz uma falta...

A certa altura tivemos que usar o fraldário do shopping. Para minha felicidade, o espaço é super limpo, com profissionais muito simpáticas e decorado com bom gosto. Patrocinado pela Johnsons & Johnsons, os serviços para bebês compreende empréstimo de carrinhos, sala com poltronas para amamentação e outros acessórios para alimentação (como microondas), sanitário familiar e infantil e fraldário onde oferecem os produtos para troca como fraldas, lenços umedecidos e sabonete líquido para lavar o bebê (se necessário) e as mãos.

Encontramos o local limpo e muito organizado. Recomendo.

19 abril 2011

No escurinho do cinema

Pra comemorar o segundo mesversário do Dudu no último dia 11, fomos na estreia do CINEMATERNA no Shopping Bourbon Pompéia.

Como as sessões são no período da tarde e fazia uma bela tarde de sol, peguei a bolsa e o sling e rumamos ao shopping que fica bem pertinho de casa. Há quem me ache corajosa por andar de ônibus com um bebê tão novinho, na verdade é necessário, afinal eu não dirijo e ficar trancada em casa está fora de cogitação para minha saúde mental, rsssssss.

Essa sessão foi muito especial, os oitenta bebês e suas mamães assistiram a pré-estreia do documentário Bebês (Babies) que conta a história do primeiro ano de vida de quatro bebês de de diferentes lugares: Mongólia, Namíbia, São Francisco e Tókio. O objetivo é mostrar como, apesar das diferentes culturas e modos de educação, o carinho é a maior contribuição para a felicidade das crianças. O documentário de 79 minutos, foi filmado ao longo de quatro anos e não tem qualquer diálogo, mas há as primeiras tentativas de comunicação dos bebés. As estrelas deste filme são Ponijao, um bebé de uma tribo na Namibia, Bayarjargal, que vive numa tenda na Mongólia, Mari moradora num arranha-céus de Tóquio, e Hattie filha de um casal moderno e culto de São Francisco, nos EUA.

Eis alguns flashes da nossa comemoração:


Antes do filme


Atenção total durante o filme

Pose para a foto

No café após a sessão

17 abril 2011

Aí vem o Chaves

Dudu estreando seu gorro "no estilo Chaves" no mercado.

15 abril 2011

Comprar brinquedos? Não, alugue

Você gasta todo mês uma pequena fortuna em brinquedos para o seu filho e em poucos dias ele simplesmente perde o interesse?
Você cansou de inventar alternativas para organizar os inúmeros brinquedos?
Seu filho brincou tão pouco com aquele brinquedo, o que fazer agora?



O Clube do Brinquedo é uma empresa criada para servir de alternativa a pais cansados da rotina de comprar e estocar brinquedos para seus filhos.
Brinquedos de qualidade custam caro e tem vida útil curta, diante do rápido desenvolvimento de nossas crianças, que necessitam de brinquedos adequados às suas sucessivas fases de desenvolvimento.

Como solução inovadora,  a empresa oferece pacotes de aluguel de brinquedos para São Paulo, proporcionando economia de tempo, dinheiro e espaço, diversão ilimitada e contribuição para a preservação do nosso planeta.

Funciona de maneira bem simples:
- Você se cadastra no site, escolha um plano que melhor atenda as suas necessidades e efetue o pagamento.
- Coloque no carrinho os brinquedos que você quer alugar.
- Aguarde um contato, por e-mail, para agendamento da entrega.
- Os brinquedos permanecem contigo por pelo menos um mês.
- E depois de 30 dias seu plano vence e você pode optar entre trocar os brinquedos, permanecer com eles por mais um mês ou simplesmente devolvê-los. Legal né?!

Há ainda a opção de alugar brinquedos para festas, num pacote de no mínimo 10 brinquedos.

E as mamães podem ficar despreocupadas: sempre que os brinquedos entram e saem ds estoques, são inspecionados visualmente, cuidadosamente limpos e desinfetados, e testados quanto a condição e usabilidade.

Gostou? Corre lá no site: www.clubedobrinquedo.com.br e confira as opções.

14 abril 2011

Vacinas e desenvolvimento

Talvez eu tenha comemorado antes da hora, mas as reações das vacinas vieram e deixaram o pequeno muito chatinho. Dei banhinhos mornos, seguidos de gotinhas de Dipirona e muito carinho. O chororô veio com força total a noite e papai e mamãe tiveram que ter muita paciência.

Mas nos próximo meses têm muito mais de acordo com a tabela nacional de vacinação. Há quem diga (e prefira) que as vacinas ministradas na rede particular quase não provocam reações no bebê, porém o custo de cada vacina é excessivamente alto (pro meu bolso). Decidimos, portanto, que iremos ministrar na rede particular apenas aquelas que julgamos (e o pediatra também) imprescindível.



Mas hoje foi dia de consulta no pediatra e sempre temos boas notícias, graças a Deus. Duduzinho está com 5.190k e 58cm, uma fofura!!! E a saúde está a mil, tudo dentro da curva de crescimento e peso e tabela de referência.

13 abril 2011

Mamãe em alerta

E ontem (12.04) foi o dia das temidas vacinas do segundo mês. E bravamente Duduzinho tomou as vacinas Rotavírus, Tetravalente, Anti-polio e a 2ª dose da Hepatite B.

É claro que ele chorou, afinal agulhadas nas duas perninhas e ainda gotinhas, não é para qualquer bebê.
Passamos a noite bem, nada de febre por enquanto. Aliás, ele está bem animadinho.
Os anjos realmente protegem os bebês.

11 abril 2011

2 meses de puro amor


Meu querido filho

Hoje comemoramos seu segundo mês de vida. E que alegria! Talvez seja piegas falar que parece que foi ontem que você nasceu, mas desde então, tantas coisas aconteceram, tanto aprendizado, que parece que realmente o tempo passou muito depressa.

E nesse tempo eu virei mãe, e chorei e ri muitas vezes. E errei e acertei muito mais. Você cresceu bastante, meu filho. Aquela surpresa que tive quando você nasceu com menos de 3k, hoje já tem quase 4,5k e o seu crescimento não foi prejudicado pelos problemas que tive com a amamentação. Você está forte e muito saudável. Todas as noites você é o principal das minhas orações. Peço a Deus que cuide de você e me mostre qual o melhor caminho para isso.

Toda vez que me pego olhando para você, me emociono. Você é o verdadeiro milagre da vida. Foram muitas escolhas saudáveis eu fiz para te ter, não foi tudo perfeito, mas tentei fazer o possível. E eu tenho certeza que você me transformou em algo melhor.

Sei que novas emoções nos aguardam, logo você terá contato com suquinhos e papinhas. E depois virá a fase das descobertas, tombos e tropeços. E ficarei aqui, incentivando o seu desenvolvimento com suas descobertas, com o coração na mão e os olhos atentos para que nada caia em sua cabeça.

Com amor, Mamãe

08 abril 2011

Blogagem coletiva: Maternidade Real

Frequentemente (e recentemente) recebo comentários aqui no blog de uma anônima que assina como mamífera me criticando o fato de eu não ter tido um parto normal e nem ter alimentado exclusivamente.

Se isso me incomoda? Não mesmo. Penso que essa pessoa que acredita ferir com cinismo deve ser uma xiita em conceitos, ou uma pessoa frustada que se preocupa apenas com a vida alheia, ou ainda que fantasia que seu mundo é perfeito e morre de culpa por ser o contrário.

A verdade é que somos humanos e temos vidas possíveis. Eu sou uma delas. Me tornei mãe depois de realizar muitas coisas em minha vida e sei que foi na hora certa. Amo meu filho, ele é a verdadeira tradução do que é o amor, como diz a música. Ele veio selar um relacionamento lindo que tenho e me sinto feliz por isso.

A gente tem que buscar um equilíbrio para tudo. Ser mãe é difícil. Você tem que passar pela aprovação da sociedade a cada etapa, desde a gravidez até seu filho tornar-se adulto, e se ele não se tornar uma pessoa de bem, a culpa será sempre da mãe.

Tive o chamado baby blues e me senti incapaz em alguns momentos. Aí depois de uma conversa vi que precisa dar a volta por cima. Nada em minha vida foi fácil e tornar-se mãe não seria diferente, é um aprendizado constante. E não tenho vergonha de dizer que:

- Meu parto foi cesáreo (porque teve que ser assim) e tive problemas com a amamentação;
- Não fiz hidroginástica e drenagem porque tive que economizar para o enxoval;
- Não fiz chá de bebê porque acho um saco aquelas brincadeiras e o gasto com a festa pode ser muito maior do que se ganha;
- Não sinto saudades da barriga de grávida porque os últimos meses de gestação foram tão desgastantes que talvez tenha ficado traumatizada;
- Não usei filtro solar e hidratante todos os dias, por isso nem devo reclamar das estrias que ficaram de herança.

O real é bem diferente do ideal e cada mãe sabe o que é melhor pra seu filho, de acordo com a sua realidade...

Meu filho tomará gelado, andará de pé no chão e comerá papinhas prontas quando for necessário. Jogará vídeo game e comerá industrializados de vez em quando. E tudo isso não me tornará uma mãe pior porque eu estarei fazendo tudo o que achar melhor, sempre zelarei pelo seu bem-estar sem me preocupar com o que dizem as revistas, os mais velhos e os pediatras radicais. Já diz o ditado que intuição de mãe não falha, não é mesmo?! E é assim que será, seguindo a intuição. E desses radicalismos ocos, e muitas vezes cruéis, já tô cheia!

---------------------------------------------------------------------------------------

Esse texto faz parte da Blogagem Coletiva promovida pelo blog da Carol. Passe por lá e veja os demais blogs participantes.

07 abril 2011

Slingar

Na rua, na chuva e na fazenda. Prático e confortável, o sling permite que as nossas crias fiquem bem debaixo das nossas asas, do jeitinho que toda mamãe gosta.

Uma das melhores coisas que comprei durante a gestação foi um sling. Mãe sem empregada que sou e sem dirigir (morro de medo), preciso fazer as coisas em casa e me locomover sem depender de ninguém. Pesquisei na net e vi que valia a pena investir, decisão acertada. Só tive que aprender as formas de uso, mas isso é fácil, tem até vídeo explicativo. Uso-o desde que o Dudu tinha dias de vida, lembro que o levei na consulta com o pediatra com 6 dias de vida e foi super tranquilo.

São tantos benefícios desse tecido que vale a pena mencionar:

É perfeito para ir a lugares onde andar com o carrinho é um saco, como shoppings lotados,  ruas e calçadas esburacadas, ônibus e metrô, escadas rolantes. E se você tiver outra criança, você garante a segurança da criança mais velha, pois tem as mãos livres. Além disso, é confortável para o bebê, pois não força a sua coluna nem as articulações do quadril, que ainda estão em formação. E para a mamãe/papai também, pois distribui o peso de forma equilibrada, aliviando bastante sua coluna e seus braços. 

Também facilita a movimentação. Os pequenos dormem deliciosamente colados no corpo da mãe, os maiores fica sentadinhos, é colocar o bebê no sling que ele apaga, parece que tem sonífero.

Já no que diz respeito à segurança, como o bebê fica junto ao corpo, é mais fácil perceber se ele está bem e confortável. Se o sling estiver bem colocado e devidamente ajustado, pode ser mais seguro do que qualquer carrinho de bebê. E os pais desenvolvem uma forte comunicação com a criança/bebê e compreendem melhor e mais rápido qualquer sinal de estresse da criança. Slingar um bebê reforça a comunicação entre ambos; diminui o tempo de choro do bebê e, em conseqüência, a angústia dos pais!

O bebê ou a criança carregada no sling tem a sua percepção visual estimulada (pois fica nas mais diferentes posições e vê o mundo pelos mais variados ângulos). É também estimulado pelos movimentos do corpo de quem o carrega, sendo ótimo para o seu equilíbrio.

O fato de estar junto ao corpo da mãe, pai ou de quem o carrega, deixa a criança mais tranquila e segura em relação ao mundo à sua volta. O bebê aprende desde cedo a dar e receber carinho, sente-se querido, respeitado e atendido. Também auxilia no combate às cólicas, o calor do corpo da mãe (ou de quem o carrega) e a posição do bebê (de frente para a mãe) ajudam a aliviar as dores. Para a mamãe, o sling também ajuda a promover o vínculo com seu filho, auxiliando na redução da depressão pós-parto.

Não posso deixar de mencionar o quanto um sling ainda chama atenção. Incrível como ainda há pessoas que não conhecem a peça, algumas acham ótimo, outras criticam achando que estamos "judiando" do bebê. É impressionante o quanto as pessoas comentam. Estranham, acham ruim do bebê estar esmagado lá dentro, questionam, riem, pegam... Viro o centro das atenções em qualquer lugar. Sou abordada até por grávidas e mães de bebês pequenos.

05 abril 2011

Chupeta MAM - Eu testei

Acessório fundamental para aliviar a vontade de sucção que todos os bebês nascem, a chupeta acalma e ensina o bebê a sugar melhor, porém dizem que o bebê larga o peito.

Comprei duas chupetas quando ainda estava grávida e sempre fui a favor. Dudu sempre foi agitadinho e a chupeta o acalma principalmente quando está sonolento. Geralmente eu saio com duas chupetas, porque se uma sujar, cair no chão etc, tem a outra de reserva. Comprei também porta-chupeta, item é essencial para não deixar a chupeta rolando dentro da bolsa.

Amo a marca MAM. Recentemente ganhei a famosa mamadeira anti-cólica que é linda e eficiente. Mas o que sempre me chamou a atenção é o design das chupetas da marca. Comprei uma e ofereci sem sucesso. Dia  desses recebi um contato da empresa para participar de um encontro de mães onde haveria o lançamento do novo produto, infelizmente não pude ir, mas a equipe se prontificou a enviar o produto para minha casa e saber minha opinião.

Recebi a chupeta MAM Perfect que tem um design único e lindo, reduz o risco de desalinhamento dos dentes por ter um bico mais fino e mais macio. O produto foi desenvolvido com ortodontista e odontopediatras, tem BPA Free e ainda permite melhor acomodação no rosto do pequeno, seguindo a anatomia de suas bochechas

Para quem não conhece, as chupetas têm o bico simétrico, por isso, não tem lado errado. Mesmo quando o bebê gira o produto na boca, ela sempre estará na posição correta, ajustando-se anatomicamente ao palato com a pressão da língua em qualquer lado. E foi esse bico que o Dudu não aceitou. Ele está acostumado com os bicos ortodônticos tradicional (tortinho) e recusou a chupeta em todas as tentativas, uma pena!

Enfim, gostei muito da ação da empresa em testar o produto e ouvir opiniões das mamães.

04 abril 2011

Astrologia do brincar

Para a astrologia, o signo do pequeno pode dizer muito sobre sua personalidade e, consequentemente, sobre seu jeito de brincar. A astróloga Silvia Bacci analisa aqui essa relação. O resultado é uma diversão só e vai ajudá-la - e muito - a entreter seu filho de uma maneira lúdica:

 
Aquário (21 de Janeiro a 20 de Fevereiro) 
A criança de Aquário se encanta com os brinquedos mais inusitados, que fazem sons estranhos ou têm uma aparência absolutamente incomum. Por ser fora de padrão, o brinquedo já a atrai. A originalidade conta muito mais para ela do que a marca ou o status envolvidos na compra dos seus presentes. A inventividade típica dos aquarianos lhes permite criar brincadeiras interessantes, que, às vezes, as outras crianças não compreendem logo de início. Esse signo é associado à tecnologia e seus pequenos nativos parecem já ter nascido sabendo disso. Eles amam celulares e laptops de brinquedo, computadores, internet e televisão. Gostam de histórias surpreendentes e desenhos sobre ficção científica e viagens espaciais. Sua mente visionária pode viajar para outras dimensões com base nos estímulos dos aparelhos eletrônicos e demorar muito a retornar ao planeta Terra. O bom senso deve prevalecer para que os aquarianos não exagerem em atividades solitárias e sedentárias. É preciso estimulá-los a brincar ao ar livre e em grupo, praticando atividades físicas.

Quer consultar o signo do seu filhote? Acesse aqui

03 abril 2011

Blogosfera materna

Viram a matéria do Estadão desse domingo?
É sobre nós, as mamães blogueiras.
Vale conferir nesse link: http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20110403/not_imp701028,0.php

02 abril 2011

Dia mundial da conscientização pelo autismo

Eu conheço a causa, eu tenho um caso na família, eu apoio a disseminação e a conscientização.
Vista azul!