30 junho 2011

A difícil adaptação

Além de transportar e remontar móveis e caixas, uma mudança de casa requer adaptações de toda a família. Desde a disposição da nova casa, a localização, o acesso, o transporte, enfim, tudo isso já seria difícil naturalmente, com um bebê de 4 meses a situação toma uma proporção muito maior.

Mesmo com a casa semi organizada e estando nela há 5 dias, Dudu ainda não se acostumou ao novo lar. E isso tem influenciado muito o seu sono. Praticamente voltou a ter o sono de um recém-nascido, acordando a cada 2 ou 3 horas durante a noite e não querendo mais dormir a partir das 6h30 da manhã. Tudo isso se agrava com a repentina mudança de tempo, o tempo gelado de São Paulo atrapalha muito o sono. Percebe-se pelas várias acordadas noturnas que ele quer aconchego e proteção, quer apenas ser ninado, até mesmo as mamadas diminuíram.

Pesquisando a respeito, a recomendação é ter paciência. "É compreensível que uma criança pequena fique assustada com rostos desconhecidos e com um lugar completamente diferente. Pode ser que ela se agarre em você e não queira mais largar." E é justamente esse cenário que temos vivido, Dudu está irritado e só quer colo. Já tínhamos percebido essas mudanças quando viajamos por mais de 2 dias, porém agora com a mudança de casa, a situação persiste, deixando papai e mamãe cansados e irritados pelas noites mal dormidas. 

Minha preocupação está principalmente pelo fato do término da minha licença maternidade que está bem próximo. Logo, logo ter uma noite bem dormida se tornará fundamental para mim que terei que enfrentar um belo trânsito para ir e voltar do trabalho, além da rotina diária. Já para o Dudu, se tal situação persistir, minha irmã terá um trabalho enorme com ele que também precisará se adaptar à ela e sua forma de cuidar. 

A psicanalista francesa Françoise Dolto dizia que os ambientes e pessoas precisam ter resquícios da mãe para se tornarem habitáveis psiquicamente pelo bebê. Isso significa que primeiro seu filho precisa perceber que você confia naquele “estranho”, e aí sim ele passará a confiar também, e se sentir confortável na companhia dele. O mesmo vale até mesmo para uma adaptação em ambientes como escola ou berçário. A criança vai ver que aquele é um terreno seguro quando a mãe transitar por ali numa boa. Tenho tentado fazer ele se adaptar ao local levando a todos os cômodos da casa, conversando e brincando com ele. Também tenho o levado mais vezes à casa da minha mãe e deixa-lo ficar mais tempo na companhia de meus sobrinhos. Enfim, sabemos que essa é uma fase, e fases passam, graças à Deus.

Fonte: Baby Center Brasil

28 junho 2011

Amor infinito

“Filho é um ser que nos emprestaram para um curso intensivo de como amar alguém além de nós mesmos, de como mudar nossos piores defeitos para darmos os melhores exemplos e de aprendermos a ter coragem. Isso mesmo!
Ser pai ou mãe é o maior ato de coragem que alguém pode ter, porque é se expor a todo tipo de dor, principalmente da incerteza de estar agindo corretamente e do medo de perder algo tão amado.
Perder? Como? Não é nosso, recordam-se?
Foi apenas um empréstimo!"
José Saramago

27 junho 2011

Maneiras de brincar e estimular seu filho

Brincar estimulando sempre foi uma das minhas preocupações para que o Dudu cresça feliz. E mesmo agindo por instinto, pesquisei sobre as brincadeiras adequadas para sua idade e ... bingo, estamos no caminho certo, e é claro descobrimos novas formas de brincar.

4 a 6 meses
Nesta idade, o bebê começa a ficar bem mais ativo, ao aprender a virar de um lado para o outro e a se sentar. Outra novidade é a habilidade de segurar, manipular e levar objetos à boca, algo que o ocupará por horas a fio e exigirá atenção redobrada da sua parte.

As crianças passam também a responder melhor às tentativas de entretê-las, soltando gritinhos de alegria e olhando os pais nos olhos.

Bolinhas de sabão
Elas são simplesmente irresistíveis, e agora a visão do seu filho já o permite acompanhá-las a uma maior distância. No meio de uma crise de choro, procure uma área externa e comece a assoprar as bolinhas só para ver o que acontece: as lágrimas param na hora. E se puder ir a um local onde crianças maiores estejam brincando, melhor ainda. Elas virão correndo para olhar as bolhas também e acabarão entretendo o bebê só com sua presença. Outra vantagem é que esse é um brinquedo fácil de transportar e barato.

Vou te pegar!
Não há criança no mundo que resista à ameaça de um monte de beijos, abraços e cócegas. É só dizer: "Júlia: estou vendo você sentadinha aí... Acho que vou aí te pegar e te encher de beijinhos. Vou te pegar! Vou te pegar! Te peguei!". Faça então o prometido e veja só que gargalhadas gostosas vai receber.

Você pode também ameaçar de "comer" pés, mãos e barriga, outro sucesso garantido. Quando seu filho for mais velho, modifique um pouco a brincadeira, acrescentando uma corrida de pega-pega pela casa (aliás, essa brincadeira é uma maravilha de fazer quando você está atrasada e ele "emperra" que não quer sair de jeito nenhum -- é só começar com um "Cuidado que eu vou te pegar…" em direção à porta).

Dedo mindinho, seu vizinho…
Pegue delicadamente cada dedinho do seu filho e vá dizendo o famoso "dedo mindinho, seu vizinho, pai de todos, fura-bolos e mata piolhos", terminando com seus dedos da mão escorregando para a barriga dele, em uma coceguinha gostosa.

Há também a versão para os dedos dos pés, começando pelo dedão: "Este porquinho foi ao mercado; este porquinho ficou em casa; este porquinho comeu carne assada; para este porquinho, não sobrou nada. E este porquinho aqui veio gritando ... (e aí é a hora de subir com seus dedos até a barriga, para fazer cócegas) até chegar em casa".

Esse tipo de brincadeira é muito útil na hora de colocar meias e sapatos ou de distrair a criança para trocar a fralda sem muito vira-vira.

De barriga para baixo
É bem possível que seu pediatra já esteja aconselhando a colocar o bebê de bruços no chão (em cima de uma toalha mais felpuda ou um edredom), mesmo se ele reclamar um pouco, já que a posição é mais cansativa.

Ajude-o a se divertir com isso deitando-se também no chão de barriga para baixo e fazendo um olho-no-olho. Depois, vire-o devagarzinho de um lado para o outro fazendo algum som engraçado (pode até ser um simples "Opa" a cada virada) para incrementar a atividade.

Bebê voador
Agora que a cabeça está mais firme, já dá para brincar de aviãozinho ou de foguete, fazendo o bebê "voar" na horizontal, deitado e bem apoiado entre seus braços (papais costumam ser craques nessa brincadeira). Uma variação é brincar de elevador: você segura o bebê no colo e sobe e desce em direção ao chão com ele, contando os andares ao mesmo tempo (a menos que esteja em excelente forma física, você não precisa se agachar até o chão!).

7 a 9 meses
Seu filho já é quase um especialista em se sentar e logo logo estará engatinhando por aí. Encha-o de elogios a cada conquista, mesmo após os inevitáveis tombos. "Lucas, olha só como você consegue sentar bonito!". Bebês adoram palmas como parte do elogio.

Outra coisa que faz cada vez melhor é passar objetos de uma mão para a outra e segurá-los. Além do mais, ele começa a entender que, se um brinquedo não está à vista, isso não quer dizer que sumiu para toda a eternidade. Aproveite para brincar bastante de esconder o rosto atrás das mãos perguntando "Onde está a mamãe?" e depois abri-las dizendo "Achou!".

Pega, segura e bate
Se ele tiver um só brinquedo na mão, vai tentar batê-lo na mesa sem parar. Se tiver dois, vai tentar bater um no outro, segurá-los contra a luz para ver o efeito, batê-los separadamente e depois junto na mesa, transferi-los de uma mão para a outra, enfim, uma infinidade de combinações.

Para ajudar, tenha sempre por perto itens que fazem sons interessantes, como embalagens plásticas vazias, colheres de metal, sinos e chocalhos.

No controle
Bebês adoram observar situações de causa e efeito, como quando percebem que, se apertam um botão, a luz se acende. É estimulante para eles, mas pode dar muito trabalho para você ter que aguentar o tempo todo a insistência de ser pego no colo mil vezes para acender e apagar luzes.

Para evitar conflito, tente oferecer um telefone de brinquedo a fim de saciar a vontade dele de controlar as coisas. Outra alternativa é deixar de propósito, em alguma gaveta ou armário mais baixo, itens seguros que possam ser "encontrados" e manipulados sem risco. Não deixe de verificar antes se não há mesmo nenhum pedaço de madeira ou outro acabamento se soltando que possa machucar o bebê.

Corrida de obstáculos
Se o seu filho estiver engatinhando, se arrastando de bumbum ou até, se for apressado, dando os primeiros passinhos, incremente a experiência com muitos obstáculos no meio do caminho para ele tirar da frente -- algo que é ótimo também para aprimorar as habilidades motoras da criança. Valem almofadas, revistas velhas e até pais cansados! Só não use animais domésticos, porque o bebê pode machucá-los sem querer.

Rola a bola
Crianças pequenas são apaixonadas por bolas e pelo jeito como elas se movimentam. Experimente só jogar uma bola bem grande para cima e deixá-la cair no chão como se não tivesse conseguido pegá-la a tempo.

Outra forma divertida de brincar com bolas é escolher uma de plástico molinho ou tecido e jogá-la na direção do bebê. Aos poucos, ele vai aprender a pegá-la e jogar de volta para você. Por enquanto, nada de chutes ou cestas.

10 a 12 meses
Seu bebê já não é mais aquela coisinha frágil de outros tempos e, a cada dia que passa, aprende novidades mais depressa e precisa passar mais tempo no chão, para explorar o mundo. Nesta fase, atividades que estimulem o desenvolvimento motor, como ficar de pé, empurrar e tentar subir, são importantíssimas.

Arruma e desarruma
Agora que a criança está descobrindo a conexão entre objetos do mundo, ela vai gostar de empilhar bloquinhos, colocar cubos em uma determinada ordem (que pode não fazer nenhum sentido para você) ou encher e esvaziar caixas com peças menores (fique sempre se olho para que não sejam pequenas demais e possam ir parar na boca).

Dê a seu filho uma caixa de sapato fácil de abrir e mostre como dá para colocar várias coisas lá dentro e tirar tudo depois. Em um dia mais quente, procure uma sombra gostosa e leve potes pequenos de plástico para ele encher e esvaziar com água.

Tudo por um brinquedo
Uma vez que seu filho já fique de pé, coloque-o em uma ponta do sofá e na outra um brinquedo daqueles bem queridos, para que tenha que chegar do outro lado para alcançá-lo. Talvez você tenha que mostrar como funciona essa brincadeira, deixando algo seu lá e se arrastando de joelhos para pegar. Aumente a distância quando perceber que ficou fácil demais, mas não comece com um percurso muito difícil, porque isso pode frustrá-lo, fazendo-o desistir.

Seu mestre mandou…
Faça um barulho estranho e olhe para o bebê para ver se ele imita você. Pode ser que sim ou pode ser que resolva fazer seu próprio som engraçado, e aí será a sua vez de imitar ou de criar de novo algo diferente.

E não se limite só a sons. Faça caretas ou movimentos e veja só o que acontece. Aproveite algum gesto inesperado do seu filho e o repita para mostrar como você sabe fazer como ele, o que o deixará superfeliz.

Hora do banho
Nenhuma criança desta idade se contenta mais em simplesmente sentar na banheira e ser lavada. Bebês mais velhos querem ficar de pé, jogar água para todos os lados, pegar seu cabelo, amassar o sabonete ou o recipiente de xampu.

O melhor jeito de não transformar a hora do banho em uma loucura para você é ter muitos brinquedos para distrair seu filho na água. E isso não quer dizer ter que sair para comprar. Com certeza na sua própria cozinha há uma série de potes e embalagens plásticas que podem servir perfeitamente para brincar, é só procurar e testar para ver o que dá certo.

Depois do banho, lave e enxágue bem os "brinquedos" e deixe-os secando no escorredor de louça.

Atenção: Nunca deixe um bebê brincando sozinho, nem por um segundo, na banheira.

Fonte: Babycenter Brasil

26 junho 2011

Como sobreviver a uma mudança

Essa vida de nômade me cansa. E eu que pensava que era craque em embalar, encaixotar e transportar tralhas de casa, acrescento ao meu currículo a inesquecível experiência de fazer uma mudança com um bebê de 4 meses.

Louca, insana? Tudo junto. Porque foi uma doideira, minha gente. A fase da preparação rolou em etapas, mas na hora que o caminhão chega, o négocio pega e todos os móveis e caixas devem ser transportados. E onde colocar o bebê? No berço? Não, ele já foi desmontado. Etão na cama? É preciso desmontá-la.

Pois é, foi uma loucura minha mudança. Marido ainda teve que trabalhar e só ajudou para carregar o caminhão. Para descarregar, contei com a ajuda do primo, prima, sobrinhos, aff. A gente só percebe que tem tanta tralha em casa quando resolve juntá-la.

Agora entando no apê novo, a maioria das coisas já estão no lugar, exceto os armários dos quartos que estão desmontados e as roupas em caixas. Mas resolverem isso ainda nessa semana. Ah, e o Dudu, sobreviveu e não teve que vir no caminhão. A Dinda dele fez a boa ação de trazê-lo confortavelmente de carro e nada sofreu, apenas ficou no colo de um e de outro durante todo o dia até a louca da mãe dele conseguir respirar e lhe dar atenção.

24 junho 2011

Erros e acertos: Fraldas II

Nesse post, comentei sobre as fraldas tradicionais que já havia testado. Porém, fui buscar outras alternativas e para minha surpresa o resultado foi muito positivo.

Personal: Para quem apenas conhecia os papéis higiênicos da marca, as fraldas descartáveis era uma novidade. Através de uma promoção que o site realizou, resolvi testar. E foi uma grata surpresa, a fralda é bem macia, feita de algodão, o que a torna muito confortável para o bebê. As barreiras internas protegem mesmo, nãhouve um vazamento sequer em todas as vezes que usei no Dudu. Ela fralda é vendida online, com desconto, no site do fabricante!

Bummis Baby Snoopy: Recebi uma amostra do blog Test Drive Mami numa promoção que participei. Realmente gostei muito. Ela não é plastificada por fora, tem um toque super macio e possui Aloe Vera para proteger a pele do bebê. Possuem ainda barreiras impermeáveis grandes e macias, que previnem vazamentos e não machucam o bebê. E o preço é a melhor característica, muito justo.

22 junho 2011

Votem no sorriso do meu bebê

Eduardo Caleffi está participando do concurso Meu Bebê é Meu Melhor Presente do Portal Absoluta e precisa do seu voto. É rapidinho, basta clicar AQUI
Vamos lá, minha gente. Façam essa mãe coruja mais feliz!  
P.S: Para votar, basta clicar nos quadradinhos acima da foto, se eles não estão visíveis é preciso atualizar a página.

21 junho 2011

Serra, serra, serrador

video
E essa alegria toda foi a noite, depois de um dia agitadíssimo.

20 junho 2011

Sobre o fim da licença maternidade

Não tem como negar que esse assunto tem me tirado a tranquilidade e fez dos meus últimos dias uma loucura. Volto à labuta em 11.07, justamente no dia que meu pequeno completa 5 meses de vida, e os planos de contratar minha irmã (que é babá) não deram certo, pois eu não conseguia cobrir o valor de seu salário atual.

A única alternativa era colocar o Dudu numa escolinha, e mesmo contra minha vontade, fui à procura. Esclareço que gosto de escolinha e todo seu planejamento de cuidados com os pequenos, mas acho meu filho muito novinho para essa rotina. Acredito que o melhor para ele seria ficar aos cuidados da mãe ou alguém da família pelo menos até completar 1 ano e meio ou 2 anos, essa fase éimportante para manter os vínculos afetivos.

Com o início das férias do maridão, colocamos como meta resolver essa pendência e visitamos muitas escolinhas. Moro atualmente num bairro bem localizado e próximo de estações do metrô, o que encarece absurdamente os valores, principalmente de escolinhas. Aqui permanecer na escolinha por período integral beira tranquilamente mil reais, valor que impacta muito em meu orçamento, é claro que aqui você encontra escolas boas que oferecem até monitoramento para tranquilidade dos pais. Procuramos também escolinhas próximas ao bairro, e a média de valor era a mesma. Porém, encontramos uma bela escola, tradicional, com ótima estrutura e forma de trabalho, e com um valor mais atrativo devido ao desconto que meu sogro tem já que faz parte de uma categoria de classe (isso não quer dizer que era barata). Essa foi nossa escolha.

O próximo passo era o ajuste dos horários, deixar o Dudu na escola é possível para mim e meu marido, porém buscá-lo é que é o problema. Trabalho distante de casa e o trânsito de Sampa é caótico e imprevisível, marido trabalha mais próximo, mas não é todos os dias que consegue sair no mesmo horário. E por que não procurar numa escolinha próxima ao trabalho? Porque além de ser um bairro nobre, o que encareceria muito mais as mensalidades, é distante, e como não dirijo transportá-lo todos os dias em ônibus ou metrô é muita judiação. Uma alternativa era uma possível troca de horário de trabalho, mas como já estou afastada há quase 5 meses, fica inviável (e muita cara de pau) voltar ao trabalho já pedindo algo. 

Quem acompanha o blog há mais tempo sabe que comprei uma apartamento na planta que será entregue até outubro desse ano, e como o apartamento fica próximo à casa da minha mãe, sempre foi de nosso desejo se mudar para o bairro como forma de ir se acostumando com a nova rotina. Além disso, morar perto da minha família me ajudaria muito nos cuidados com o Dudu, sinto muita falta disso, simplesmente não tenho ninguém para contar numa olhadinha nele nem mesmo para ir à padaria.

Decidimos, portanto, nos mudar para o bairro onde minha mãe mora e assim ficar próximos de minha família. Pesquisamos escolinhas na região e ficamos muito satisfeitos com os valores e estrutura, mas se antes eu não conseguiria chegar a tempo de buscar o pequeno, agora num bairro muito mais distante do meu trabalho (tenho que atravessar a cidade), ficará impossível.

Mas como acredito que às vezes o universo conspira a nosso favor, infelizmente uma doença de meu sobrinho veio à calhar. Gustavo pegou uma pneumonia brava, até porque o clima tá super seco e poluído, obrigando minha irmã rever sua decisão de continuar no trabalho atual. Ficando com o Dudu, mesmo que isso signifique uma diminuição de seu salário, ela faria isso em casa, já que irei morar no prédio que ela e minha mãe mora, e poderia cuidar melhor de seus filhos (ela tem quatro adolescentes) e sua casa.

Problema resolvido: mudaremos no próximo sábado e contratarei minha irmã para cuidar do Dudu. Será um esforço e uma mudança em nossa rotina, afinal gastaremos muito mais tempo para ir e voltar do trabalho e teremos um custo adicional para alugar um apê, mas nada como ter tranquilidade de saber que meu filho está em boas mãos (tia e madrinha) e no aconchego de sua família.Volto a trabalhar há duas semanas e mudaremos antes para que ambos (meu filho e minha irmã) possam se acostumar um com o outro.

Confesso que tirei um peso enorme das minhas costas. Marido utilizou seus vinte dias de férias nessa questão, mas sabemos que tomamos a decisão certa.


Nota: Claro que encontramos escolinhas ruins também que cobravam mensalidades nos mesmos valores que as demais. Ambiente escuro, professoras, tias ou cuidadoras despreparadas, estruturas improvisadas (salas de dormir onde crianças dormiam no chão). Mas numa delas fiquei bem assustada: duas tias faziam os bebês dormir com os famosos tapinhas na bunda, porém aquilo pra mim e meu marido eram verdadeiras palmadas. Juro que segurei minha língua para não reclamar. Saímos de lá correndo.

17 junho 2011

Oba! Mais presentes

Se antes eu choramingava que nunca ganhava nada nesses muitos sorteios que participo, agora tenho mais é que comemorar. Através do Twitter conheci o blog Vida de Gestante da Mariana, uma psicóloga muito gente fina que será mamãe do Vítor. E ela realizou um sorteio de produtos da MAM, marca que amo muito.

Acompanhei de perto as etapas, fiz figa, torci, e ganhei!!! No início dessa semana chegou aqui em casa um caixinha (eu adoro receber coisas pelos Correios!), e dentro dela estava um Twist Clip e um Pod. Há tempos estava namorando um pod desses, pra quem não conhece esse acessório, além de lindo, permite o armazenamento e transporte de duas chupetas (muito útil para nós).

Valeu Mari, adorei participar,mas muito mais levar o prêmio, hihihi.

15 junho 2011

Rápidas

Ontem, Dudu tomou as vacinas do quarto mês. Estamos acompanhando as possíveis (e temidas) reações, mas até agora somente a perninha ficou dolorida. Graças a Deus, tivemos uma boa noite de sono e está no berço um bebê bastante esperto.

------------------------------------------------------------------------------

Estamos aproveitando as férias do papai (que já está chegando ao fim) para resolver algumas pendências, entre elas, a escolha da escolinha que o Dudu ficará. O plano anterior dele ficar aos cuidados da minha irmã que é babá não deu certo, então a escolinha é a única solução. Conto a respeito assim que o assunto estiver resolvido.

-------------------------------------------------------------------------------

Infelizmente minha licença maternidade está chegando ao fim. Logo, logo Dudu fará 5 meses justamente no dia que voltarei a trabalhar (11.07). Vivo num misto de sensações: ao mesmo tempo que quero voltar a ter uma vida ativa estou com o coração apertado por deixar meu pequeno aos cuidados de terceiros.

-------------------------------------------------------------------------------

A inclusão de frutas e sucos na dieta do Dudu está de vento em pompa. Já percebemos que ele gostou bastante de maça e pera. Curiosamente, mamão foi a fruta que menos agradou (apesar de ser bem adocicada). Porém, o intestino do pequeno está estranhando toda essa mudança, seu cocô está mais sólido, exigindo uma forcinha para sair. Para ajudar estamos intercalando as frutas, como por exemplo, no dia que ele come maça pela manhã, o suco ou a fruta da tarde é mamão.

------------------------------------------------------------------------------

E não poderia deixar de registrar, alcançando os 4 meses, Dudu ganhou o direito de inclinação de algumas cadeirinhas, como o carrinho de passeio. Agora ele vê o mundo de frente e tem adorado.

12 junho 2011

Feliz Dia dos Namorados

You Make Me Feel Brand New – Simply Red
Você me faz sentir renovada

My love
Meu amor
I'll never find the words, my love
Eu nunca encontrarei palavras, meu amor
To tell you how I feel, my love
Para dizer como me sinto, meu amor
Mere words could not explain
Meras palavras não poderiam explicar
Precious love
Precioso amor
You held my life within your hands
Você prendeu minha vida em suas mãos
Created everything I am
Criando tudo o que sou
Taught me how to live again
Me ensinou a viver outra vez

Only you
Só você
Cared when I needed a friend
Se preocupou quando eu precisei de um amigo
Believed in me through thick and thin
Acreditou em mim, e com firmeza
This song is for you
Esta música é para você
Filled with gratitude and love
Cheia de gratidão e amor

God bless you
Deus te abençoe
You make me feel brand new
Você me faz sentir renovada
For God blessed me with you
Por Deus ter me abençoado com você
You make me feel brand new
Você me faz sentir renovada
I sing this song 'cause you
Eu canto essa música porque
Make me feel brand new
Você me faz sentir renovada

My love
Meu amor
Whenever I was insecure
Quando eu estive insegura
You built me up and made me sure
Você me levantou e me fez ter certeza
You gave my pride back to me
Você devolveu meu orgulho
Precious friend
Amigo precioso
With you I'll always have a friend
Com você eu sempre terei um amigo
You're someone whom I can depend
Você é alguém que eu posso depender
To walk a path that sometimes bends
Para andar em um caminho que nunca termina

Without you
Sem você
Life has no meaning or rhyme
Minha vida não tem sentido ou rima
Like notes to a song out of time
Como notas para uma música fora do ritmo
How can I repay
Como eu posso retribuir
You for having faith in me
Por você acreditar em mim

11 junho 2011

4 meses de aprendizado

"Querido filho

Comemoramos hoje mais uma etapa alcançada: seus 4 meses de vida. E quantas mudanças já podemos perceber. Você deixou de ter aquela carinha de bebê, mesmo com suas bochechas, tem cara de menininho, o que deixa papai e mamãe muito orgulhosos. Muito mais orgulhosos ficamos com o seu sorriso ao nos ver. Sim filho, agora você nos reconhece e nos procura quando ouve nossas vozes.

Tenho tentado registrar aqui todos os aprendizados e acontecimentos para não esquecer, confiar na memória de mãe é muito arriscado. São tantas coisas acontecendo ao mesmo tempo que às vezes me sinto perdida.
Você começou a tomar sucos e comer frutinhas, e logo mais experimentará as papinhas, estamos ansiosos para isso. Seu choro também se modificou e agora já percebemos quando é manha, fome ou sono. As gracinhas vieram com força total: bolhinhas na boca, mostrar a língua, gargalhadas quando tocamos sua barriguinha, enfim, você está cada dia mais gostoso!

Saiba que papai e mamãe estão se preparando para o fim da licença maternidade, fato que mudará sua rotina, então estamos nos antecipando e deixar tudo organizado para que essa transição seja a mais tranquila para você. Quanto a mim, sei que ficarei com o coração na mão, vou chorar, vou ligar para saber de você, vou pedir ao relógio que trabalhe mais rápido, mas vai dar tudo certo, não se preocupe.

Te amo cada dia mais.

Mamãe "

10 junho 2011

Dudu baladeiro

Dudu estreou no mundo dos aniversários infantis em 20.05, o aniversariante foi o Nícolas, um amiguinho de 2 aninhos, filho da Ludmila e do Jéferson, conhecidos de longa data.

Dudu, mesmo com seus 3 meses de vida, curtiu a festa que tinha com o tema Lazy Town, ainda mais por ser num domingo a tarde, ocasião perfeita para as crianças.


Já a festa do Danilo, filho da amiga Flávia, foi num sábado a noite e quem mais curtiu foram os papais do Dudu. Talvez porque tivemos um dia agitado em 04.06, foi o Encontro de Comadres, e ele dormiu durante a festa, que por sinal foi linda.

Danilo completou seus dois aninhos numa festa com o tema Carros.

09 junho 2011

Consulta pediátrica

No último mês tive muita dificuldade em marcar uma consulta com o pediatra do Dudu. O doutor alegou agenda lotada e mesmo tentando marcar a consulta na semana que ele completa mesversário, só consegui para o finalzinho do mês. A situação se agravou, pois viajei e tive que adiar a consulta.

E finalmente em 07.06 fomos visitar o doutor. Fomos informados que a procura para atendimento tem sido grande já que os pediatras estão sumindo do mercado. Já tinha lido uma matéria sobre a falta de pediatras e realmente tive que procurar muito para encontrar um.

Pois bem, Duduzinho está ótimo. Prestes a completar 4 meses de vida já alcançou 6,640k e 64cm. Está grandinho meu bebê. Perguntamos sobre o tamanho de sua cabeça, desde o útero que Dudu apresenta um perímetro cefálico um pouco maior, mas nada fora do normal, informação novamente afirmada pelo doutor.

Foram liberados sucos, frutas e papinhas. Essas últimas daqui há 15 dias. Os sucos já fazem parte da vida do pequeno como menciona o post anterior, começaremos com as frutas ainda nessa semana e logo mais as papinhas salgadas.

Tudo isso faz parte da preparação para o fim de minha licença maternidade. Infelizmente ela termina em 11.07, justamente no dia que ele completa 5 meses. Conto sobre ela depois, com o coração em frangalhos.

08 junho 2011

Meu primeiro suco

Não podia deixar de registrar o primeiro suco do Dudu.
Foi em 03.06 e oferecemos suco de laranja lima.

Se ele gostou? Claro que fez careta.
Mas o papai insistiu e ele tomou 90ml do suco logo depois.

Já no segundo dia foi mais difícil, e no terceiro, ele recusou.
Iremos insistir, esse processo de inserção de novos alimentos e sabores não é fácil, mas extremamente necessário.

O próximo passo são as frutinhas...Já estamos imaginando a carinha dele, rss.

06 junho 2011

1º Encontro de Comadres

As redes sociais permitem que entramos em contato com pessoas de várias localidades e interesses, além das afinidades. E é assim que encontramos futuras mamães, aquelas que acabaram de descobrir uma gravidez, aquelas que acabam de dar à luz, aquelas que têm bebês pequenos...

E foi assim que em 04.06, num sábado a tarde, resolvemos fazer as amizades virtuais se tornarem reais, amigas de rede sociais que trocam mensagens há muito tempo, que conhecem os anseios, medos e expectativas da outra, que são amigas mesmo sem terem se visto. Nada melhor que ver as pessoas, escutar a voz, abraçar... E juntas, Talita, Amanda, Néinha e Eu organizamos o 1º Encontro de Comadres realizado num shopping de Sampa com as ilustres presenças de 17 mãezinhas e 18 bebês.

 Talita (amiga querida), Eu e Dudu

 Gustavo, filhote da Kátia, foi o amiguinho secreto do Dudu

 As idealizadoras (Amanda e Maria Júlia), Talita e Emily, Néinha e Yan, Eu e Dudu 

Juntas, conversamos, rimos muito, almoçamos e tiramos muitas fotos. E para agitar esse público realizamos um Baby Secret e um sorteio de um Kit de Cosméticos para as mamães. Claro que sentimos falta de algumas mãezinhas que não puderam ir e outras que moram muito longe, mas quem sabe num próximo evento... Aliás, àquelas mãezinhas que queiram se juntar ao nosso grupo, fiquem a vontade, a gente adora fazer amizade!

O Ingo (filhote da Dani) tirou o Dudu no Baby Secret (cadê o Ingo para tirar a foto?)

Vanessa e Maria Fernanda, Amanda e Majú, Eu e Dudu, Thania e Anna Laura

Van e Anna Sophia (amei conhecê-las)

Dudu e Eu: muito felizes

O encontro foi tão bom que já estamos pensando no próximo...Porém,  para que o 2º Encontro seja ainda melhor que o primeiro, gostaríamos da opinião de TODAS vocês. Por favor preencham essa enquete AQUI.


Presenças Ilustres: 
Rosi e Dudu, Talita e EmilyNéinha e Yan Amanda e Maria Júlia, Kátia e Gustavo, Gleice e Kaleb, Letíciae David, Thania e Anna LauraVanessa e Ana Sophia, Rosimeire e Mariane, Vanessa e Maria Fernanda, Juliana e Gustavo, Jane e Maria Clara, Daniela e Ingo, Silvia, Dudu e Antony, Priscila e Mirelly e Roberta e Guilherme.

03 junho 2011

Carinho faz tão bem

Quando firmei uma parceria com a Funny Paper para um concurso do Dia das Mães sabia que se tratava de uma empresa séria. E foi assim desde os primeiros e-mails trocados com a Silvana, uma das sócias responsáveis pelos trabalhos da empresa que são muitos caprichados.

Em todas as fases do concurso nossa comunicação era diária e dinâmica. Escolhemos juntas datas, etapas e a grande vencedora que foi a querida Maura e sua filhota Sophia. Combinamos também que a divulgação da vencedora e do prêmio seria divulgado simultanemente nos blogs, mas resolvi esperar. Silvana presenteou eu e o Dudu com uma moldura de scrapbooking e estava ansiosa para ver meu presente.

Estive viajando nos últimos dias, mas cheguei ontem e encontrei uma caixa grande a minha espera. Dentro dela, cuidadosamente embalada, estava uma belíssima moldura, especialmente feita para mim e meu filho, com nossa foto e nas tonalidades que mais me agradam: azuis.

Se fiquei feliz? Sem dúvidas. Gostei muito da realização do concurso, do recebimento das fotos, das participantes que muitas ainda não conhecia, da escolha das finalistas e da vencedora, mas o que mais me marcou foi a preocupação, o carinho e a criatividade da Silvana comigo e com a Maura. Aliás, a Maura deixou esse recadinho sobre o prêmio:

Obaaaaaaa!!!!!!!!!!
Estou muito feliz!!!!
Recebi o prêmio da promo e não podia ter ficado mais lindo!!!! Obrigada!

E olhem só o nosso prêmio:

Duduzinho aprovou e agradece o carinho

01 junho 2011

Antes de ser mãe

Antes de ser mãe, eu fazia e comia refeições quentes. Eu usava roupas sem manchas. Eu tinha conversas calmas ao telefone.

Antes de ser mãe, eu dormia até tão tarde quanto conseguisse e nunca me preocupava com as horas que ia para a cama. Eu tomava banho sem pressa.

Antes de ser mãe, a minha casa estava limpa todos os dias. Eu nunca tropeçava em brinquedos, ou pensava em canções de adormecer.

Antes de ser mãe, eu não me preocupava se minhas plantas eram venenosas. Eu nem sabia que existiam protetores de tomada.

Antes de ser mãe, nunca ninguém me tinha vomitado ou cuspido. Eu nunca tinha sido mordida nem beliscada por dedos minúsculos e nunca ninguém me tinha molhado.

Antes de ser mãe, eu tinha controle da minha mente, dos meus pensamentos, do meu corpo e do meu tempo. Eu dormia a noite toda!!

Antes de ser mãe, eu nunca tinha segurado uma criança chorando para que pudessem fazer exames ou dar vacinas.

Eu nunca tinha experimentado a maravilhosa sensação de amamentar e saciar um bebê faminto. Eu nunca tinha olhado para olhos marejados e chorado.

Eu nunca tinha ficado tão gloriosamente feliz por causa de um simples sorriso. Eu nunca tinha ficado sentada até tarde da noite só para admirar um bebê dormindo.

Eu nunca tinha segurado num bebê dormindo só porque eu não queria deixá-lo. Eu nunca tinha sentido o meu coração quebrar-se num milhão de pedaços porque eu não pude parar uma dor.

Eu nunca imaginaria que algo tão pequeno pudesse afetar tanto a minha vida. Eu nunca soube que amaria ser mãe.

Antes de ser mãe, eu não conhecia a sensação de ter o meu coração fora do corpo. Eu não conhecia a força do amor entre uma mãe e um filho.!!!!