15 agosto 2012

Desapego

Sempre gostei de guardar coisas. Quando adolescente, tinha aquelas agendas recheadas de bilhetes, papeis de bala, frases em código, clipes coloridos, que não fechava mais de tanta tralha que eu enfiava alí e até aderia o elástico para manter  a coitada da agenda sobre controle.

Aí cresci e meu lado sagitariano de ser falou mais alto. Adquiri a mania de me desfazer das coisas supérfluas que só causam volume. E tem sido assim em casa, no trabalho e até mesmo na minha vida.

Engravidei e voltei a colecionar coisas. Eram muitas roupinhas lindas e acessórios para o pequeno que me deixavam louca. Mas o pequeno cresceu e as roupinhas ficaram pequenas. Guardei-as por um bom tempo, até o meu lado sagitariano me cutucar e avisar que "tem gente precisando disso tudo aí", além disso, o armário do Dudu tá ficando pequeno.

Resolvi me desapegar e doar muitas roupas. E já foram duas ou três sessões de desapego. Doei a quem precisa e realmente irá usar. Foram roupas e sapatos lindos que foram para novos donos, enchi várias sacolas, doei o carrinho, andador, boucher, cadeirinha, foi tudo de coração. Mas guardei num cantinho especial algumas peças de roupas que significam muito pra mim, e estas ficarão comigo... até quando? eu realmente não sei.

2 comentários:

Elexina disse...

Rosi eu ja tenho esse desapego, nunca gostei de guarda "coisas velhas" com as coisa do Raul não foi muito diferente, ja doei quase tudo, o carrinho ainda nao pois ainda usamos, mas roupas ja foram sacolas e mais sacolas, sapatos tenho 5 pares ali ja separados, que nao cabe mais. mas eu confesso que tenho uma sacolinha na ultima gaveta da comoda que tem coisinhas que náo darei.

Sandra Hellen Kautto disse...

Tb fiz isso, não pelo motivo (o desapego),mas sim pela ida e vinda de país, mas igual a vc tb guardei umas poucas peças de roupas que tem um significado especial!!