14 março 2013

Culpa, muita culpa

Eu sou um paradoxo: gosto de ter uma vida profissional, mas sinto falta de ter mais mãe.

Acordo, tomo um banho rápido, consulto o relógio, preparo a mamadeira, ofereço ao Dudu, chamo o marido, consulto o relógio, me troco, consulto o relógio, acordo o Dudu e o levo pro banho, consulto o relógio, termino de me trocar, preparo o lanche da escola, verifico a mochila, confiro o uniforme, troco o Dudu, consulto o relógio, apresso o marido, entramos no carro, consulto o relógio. #Tudo isso foi feito em 30 minutos.

Marido me deixa no meio do caminho e corro para pegar o ônibus. Chego às 08h. Atendo milhares de condôminos. Respondo inúmeros e-mails. Me envolvo em vários projetos, em vários assuntos. Sou uma supervisora faz-tudo. Saca? Desde atendimento ao RH. Uma loucura!

Meu expediente deveria terminar as 17h48 (horário mais estranho, não é mesmo?), mas muitas vezes se estende até às 23h (sim, isso já aconteceu por várias vezes).

E o meu filho?

Marido leva e busca o Dudu pra escola. É ele que conversa com as professoras e coordenadoras a respeito do comportamento e desenvolvimento dele. E eu fico sabendo através do marido ou da agenda escolar. Para passarmos mais tempo juntos, Marido às vezes me pega no trabalho (quando consigo sair no horário), mas aí o Dudu fica irritado por ficar tanto tempo no carro (e no meio do trânsito), chora e chora até cansar, e dorme. Chegamos em casa e o carregamos até a cama, trocamos sua roupa, damos a mamadeira e ele dorme até o dia seguinte.

Pois é, só consigo melhor curtir meu filho aos finais de semana. Só que junto a isso tenho que dar conta da casa, da roupa, da alimentação do Dudu (porque a nossa fica para segundo plano sempre), do supermercado e de descansar um pouco.

Estou cansada, muito cansada. E me culpo por não ser tão presente na vida do meu único filho. É claro que essa distância provoca afastamento entre nós e muitas vezes ele prefere o pai à mim. A culpa é minha, é claro. Marido fica mais perto, participa e tem mais paciência que eu que luto contra o tempo para dar tempo de fazer tudo.

Dudu está mais birrento e chorão. A palavra "não" é pronunciada por ele várias vezes ao dia. E muitas vezes é direcionada pra mim. Eu me culpo. Me culpo muito por tudo isso.

Socorro: eu quero férias! Eu que ter a possibilidade de criar meu filho. De acompanhar seus melhores anos!

4 comentários:

Cláudia Leite disse...

Ai Rose, você está passando por uma fase parecidíssima com a minha, lá em casa!
Eu até consigo pegar a Isabella na escola (apenas as 19:00) e fico com ela até a hora de dormir, mesmo assim isso não está parecendo suiciente para ela, e acho que ela tem razão...
Ela tb anda muito respondona e não ando tendo controle das situações... estou frustrada, e claro, me sentindo culpada.
Tb amo minha vida proficcional, e no meu caso não pdoeria parar mesmo, a maior parte do sustento vêm do meu salário e marido está mudando de área, comoçeou a fazer outra graduação, em breve irá estagiar e tudo vai cair sobre mim mesma, aí é que não posso parar...
Ufa... desabafei neh? Mas é isso mesmo... até escrevi um post que publicarei em breve, quase sobre isso.
Difícil neh?

Bjão!!!!

Raquel disse...

Rosi...tb estou assim, voltei a trabalhara esta semana, e há algumas emanas que o LF tá com muitos ciúmes da irmã!!
Estou um caco pois nenhum dos dois esta dormindo bem..resultado, mamãe aqui sem nenhuma paciencia, fico louca para dar conta dos dois e ainda tem casa, supermercado, feira..horários, mochila, papinha, frlda, leite, amamentar!! Resumindo..faço td como dá e muitas das vezes LF tá ficando prejudicado..qd vejo ele está assado pq tava de cocô e não pude ver nem trocar...perco a paciencia mais rápido com ele por conta das birras da idade... e isso td gera...culpa, culpa, culpa!!!
bjos e força na peruca!!!

Jackie Graça disse...

Amiga eu passo tanto por isso, o meu Mantra é " É por ele que faço isso", pra diminuir a dor que eu sinto, me lembro constantemente que trabalho assim por ele, pra ele. Ultimamente ele me trata como se eu fosse visita, sabe quando chega alguém na sua casa e a criança fica agitada, chamando atenção e tudo mais, ele fica assim quando eu to em casa, e tem dias que fica andando atras de mim o tempo todo pra ter certeza que não vou sair, tenho que andar até descalça, por que se coloco sapato, ele pede pra eu tirar, com medo que eu saia. É duro, mas me esforço pra suprir minha ausência, almoçando como ele todo dia, e fazendo o pouco tempo que temos um tempo de qualidade. Mas mantenho em mente que o importante é o que fazemos desse tempo, por que não posso parar de trabalhar, como disse a Claudia, por aqui a maior parte vem de mim, então tenho que fazer o melhor possível.

bjussssssssssss

Emanuelly ingrid disse...

Sempre iremos nos culpar,horrivel esse sentimento. =/

Tbm tenho um blog se quiser da uma passadinha para conhecer =)
Seguindo!
Bjus

http://www.cotidianomaterno.com/2013/03/5-roupinhas-que-mais-uso-na-minha-mv.html