25 junho 2007

Pseudo-apelidos

Acho bastante engraçada a história dos apelidos.
Quando se é pequeno, nossas mães, tias e avós adoram nos chamar por diminutivos sempre naquelas vozes idiotas. À medida que cresce, reduz-se a criatividade em relação aos apelidos, sem dúvida, isto é um alívio. Creio que somente bebês e crianças muito indefesas ficam expostas a esse tipo de carinhosa crueldade.
Mas e os adultos que usam pseudônimos e apelidos? Existem várias situações, e viajando na maionese, relato as minhas conclusões e experiências:

Por ter nome estranho: essa é uma das situações mais comuns. Minha irmã tem um nome estranho (ela me mata se eu publicar) e só usa o segundo nome, mas desde pequena é Jóia. Minha tia disse que ela era um joinha de tão branca que era quando bebê, ela cresceu e tornou-se Jóia. O engraçado é que algumas pessoas acham que este é o nome dela. Durante muito tempo eu fui apenas a irmã da Jóia, a pérola ou bijuteria mesmo.

Por parecer com algo ou alguém: conheci um cara que tinha cara de rato, virou o Ratinho. Outro tem cara de vaca pelo formato de seu rosto. Meu cunhado é parecido fisicamente e é bobo tanto quanto o Seu Madruga. Minha irmã chama todos os magros de lingüiça e o seu afilhado-sobrinho de cabeção (o bichinho tem realmente uma cabeça e tanto).

Por ter uma característica marcante: tenho um amigo que tornou-se obeso depois de uma depressão, ganhou de brinde o apelido de Montanha, aí ele resolveu botar o estômago na faca e tornou-se o Truta. Ganhou um novo apelido, nova imagem no espelho, novo ânimo e novos amigos. Já uma amiga é muito, muito meiga, até na hora da bronca, dá medo de machuca-la. Ela é chorona, faz bico e é manhosa. Desde pequena tem o apelido de Mel (um doce).

Para tirar sarro mesmo: conheci um cara que todos o chamavam de Fernando Ahã. Tudo que falava para ele, ele respondia: Ahã???? Já um colega de trabalho foi apelidado de ecossistema, por causa do seu fedor. Naquele corpo tinha fauna e flora com certeza.

Por ter um nome grande: tá, nem sempre é grande, mas eu mesmo tenho mania de abreviar nomes ou modifica-los. Rosana é Ro, assim como Ronaldo e Rodrigo. Selma é Sel. Patrícia é Tita. Já Karla é Karlota, Sarah é Sarita, Eliane é Elis e Priscila é Prix (esse é fashion).

Por ter um(a) namorado(a) meloso(a): aí, é uma enxurrada de Mô, Amore, Chuchu, Fofo, Bebê, Bê, Gatinho, Benhê, Lindo, Coração, nhenhenhe.

Por fazer parte de um grupo: e todos se tratam pelo mesmo apelido: Fran (de franga), Juju, Darling, Fófis, Tranquera, Toiço, Cabeção.

Por falar sempre a mesma coisa: uns amigos da faculdade se tratavam por Tudo, a origem dessa bobagem é que um deles dizia, com toda a sua modéstia, que ele era Tudo e beijava bem, aí todos aderiram ao perfil do moço...Já o dono de um restaurante que conheço, despede-se de seus clientes desejando um “Vai com Deus”, ninguém sabe o nome do dono, muito menos do restaurante, batizamos tudo como "Vai com Deus".

4 comentários:

B R E N A disse...

Ah, gente!!! Que maldade!!! hahahaha
Eu não tenho apelido... meu nome eh curto! hahaha
Mas não acharia ruim de ter um!
:P

Rosi disse...

Brena
Além de curto seu nome é lindo, mas se vc quer um apelidinho carinhoso, a gente dá um jeito, rsssssssssss.
Bjs

Richard disse...

POr falar em "Tudo".....rsssssss
Tudo...vc. é Tudo!!!
Te desejo Tudo de bom!!!
E eu morro de saudades de "tudo" que a galera fazia!
Tudooooooooooooooo!!!!!!!!!!!!
Mil beijos!!!!
Ass.Richard (Tudo)

Rosi disse...

Háháhá
E não que o meu amigo TUDO apareceu!!!!!!!!!!!!!
Richard, vc é mesmo uma figura.
Te adoro, querido.