05 setembro 2008

Aos 30 é que o jogo começa a ficar bom

Ter 30 anos é como ser uma garota super poderosa.

Tudo muda, seu metabolismo muda, você já não emagrece com facilidade, seu intestino fica preguiçoso e fazer um checkup já não é um bicho-de-sete-cabeças. Começam a aparecer os primeiros cabelos brancos, você passa realmente a se preocupar com as rugas, com a celulite, flacidez, com o estilo de roupa que irá usar (imagina você nessa idade querendo passar por menininha com roupinhas rosa e fru-frus?!). Seu plano de saúde aumenta, as mini-saias já não caem tão bem.

Se você estiver comprometida tá na hora de pensar em ter um baby ou congelar os seus óvulos como garantia futura; se estiver solteira passa a acreditar que ficou mesmo “no caritó” = “para titia” e quer correr atrás do prejuízo, sem esquecer-se de separar o joio do trigo.

Você começa a repensar na sua postura perante a sociedade e quem sabe se preocupar em agradar os outros. Você fica mais corajosa, Pensa em reciclagem, em um mundo melhor, em querer fazer bem ao próximo. A verdade é que ter 30 anos é uma responsabilidade e tanto.

Eu fui uma das primeiras a fazer 30 anos da minha turma, logo depois veio a Rosana, a Tita, a Carla acabou de fazer, logo será a Michele, a Gisele, depois vem a Vivi, a Amarílis e assim vai. E para mim, fazer 30 anos foi realmente um divisor de água. Tanta coisa boa, tantas mudanças.

Eu já fiz faculdade, uma pós-graduação e um MBA e to querendo um mestrado. Já passei pelos estágios, pelo programa de trainee, coordenei uma equipe e tive meu trabalho reconhecido duas vezes consecutivas por um projeto que escrevi. Já fui tia e tive a oportunidade de cuidar de uma criança, coisa que faço muito bem pelo fato de ter 09 sobrinhos. Já fui traída por amigos, conquistei outros, encontrei gente boa de verdade. Voei de avião, conheci o nordeste e o sul, conheci o interior de São Paulo. Já fui católica, protestante e virei espírita, fui voluntária e amei fazer o bem a quem precisa. Já fui noiva, me preparei e desisti de um casamento, já traí, sofri horrores por desilusão, encontrei o amor da minha vida, aquele que eu tinha certeza não existir e que me provou que certezas são subjetivas.

É engraçado que você passa a conhecer um monte de balzacas como você, cheia de dúvidas e ansiedades. Aí quando baixa a auto-estima, você lembra das incríveis trintonas Angelina Jolie, Cameron Diaz, Nicole Kidmann, Maria Fernanda Cândido, Ivete Sangalo e que você pode chegar a ser tão lindona quanto a Cristiane Torloni, Luisa Brunet e Lucinha Lins.

A gente não tem pressa para viver, a gente só queria era chegar a essa idade com nosso primeiro milhão garantido, isso sim.

3 comentários:

Cin disse...

Bom só posso dizer que o fechamento desse texto foi com chave de ouro.
Bjos flor!

Quase Trinta disse...

Hummm ainda faltam dois anos pra chegar nos 30....
Mas olhando pelo seu ponto de vista já não me parece tão assustador assim... obrigada...rs

Sam disse...

Adorei o texto todo e me diverti pensando nas trintonas e cinquentonas famosas.
Não trocaria meus trinta e poucos por nada, sou muito mais mulher e feliz hoje do que fui nos teen e twenty.
:)