04 maio 2009

A saga dos Purus

Final de semana prolongado, família reunida no interior, lugar onde só se vê estrada e mato, uma calmaria total. Cerveja, mulheres, carros, cozinha, isso foi a diversão do nosso final de semana.

Regina, a boadrasta da Má (minha prima postiça Desgraçadinha), cria Periquitos, uma das espécies mais calminhas, porém graciosas. A criadora levou em duas gaiolas uma verdadeira família: pai, mãe e três filhotes. Eu, empolgadíssima, quis ver os filhotes depois de tanto ela falar deles e suas façanhas para sobreviverem. A coitada veio toda feliz com sua caixinha chocadeira me mostrar. O problema é que ela não esperava que os seus filhotes estivessem muito mais saidinhos do que a idade permite, e bastou ver a luz do sol e aquele verde imenso para bater asas e voar. Vimos até os pilantrinhas fazerem força para seu primeiro voo em direção à liberdade, acompanhados por uma criadora desesperada tentando capturá-los. É claro que as aves espertinhas sumiram do mapa e conseguiram mobilizar os 11 patetas presentes para procurá-los nas árvores vizinhas, muros e telhados.

Diante do fracasso, a coitada criadora desatou a chorar, primeiro choramingou, levou umas broncas por ter aberto a chocadeira no ar livre e se trancou para desaguar, cansou e voltou para tomar uma mistura de cerveja clara e preta, muito estranho.

Quando a gente parou de falar os fugitivos, eles resolveram dar o ar da graça. Largamos nossas cervejas e espetinhos do churrasco que tava rolando para correr e gritar feito idiotas pela rua e casa dos vizinhos, a criadora assovia, chamava, fazia voz de criança, hilário. Os pilantrinhas estavam se divertindo, tenho certeza, em razão dos rasantes que eles faziam em cima de nossas cabeças.

Os rebeldes passaram a primeira noite fora de casa, como era feriado e a noite tava bonita, acho que ficaram entusiasmados. O assunto da roda era como capturá-los, mas a barriguinha faminta deles, ou talvez a consciência, fizeram com que eles repensassem e voltassem para casa. Fizemos um engano-bobo na casa da vizinha e eles entraram na gaiola aberta com alpiste. Enfim capturamos os fugitivos após 24h e pudemos curtir nossa cervejinha em paz. Missão cumprida.

*O título do texto faz jus aos nomes dos pilantrinhas fugitivos.

6 comentários:

Amarílis disse...

Os 3 filhotes: Michael Scofield, Lincoln Burrows... E o maneta T Bag!
ahahahaha!
Escreve um livro, ficou ótima a história! Manda as fotinhas! Bjos

Suzana Mattos disse...

Muito bom o testo dos Pupus... hahaha
Adorei o comentário da minha irmã sobre os fugitivos!
Amoooo prison break!

Qualquer dia vamos todos juntos... Sei lá! Nunca fui pra Piracaia!

Beijos!

Rosi disse...

Meninas
Os nomes dos fugitivos foram dados por mim e a Má completou com os sobrenomes (eterna dificuldade minha com esse inglês maldito). Hilário!!!

Cinthya Rachel disse...

eu já tive um chinchila fujão que resolveu se esconder no aquecedor, aquele antigo, enorme, imagina. obrigada pela visita, venha sempre. beijos

M. disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Eu fiquei com pena da nobre criadora. Que bom que os malandrindos voltaram.

Bjos.

rose sena disse...

Olá Rosi,que bom que chegou seu presente,fico feliz que vc tenha gostado.
bjs