23 julho 2009

Moça bonita não paga

Feira livre é uma diversão. Li o texto da Yvone no blog Casas Possíveis http://casaspossiveis.blogspot.com/ e fiz uma verdadeira viagem no tempo.

A feira perto de casa, quando eu era pequena, era aos domingos. Adorava acompanhar minha avó nesse programão, afinal sempre sobrava um troquinho para o pastel e o caldo de cana.

Lembro das flores, dos condimentos moídos na hora, sinto ainda o cheiro. Tinha a barraca dos acessórios de panela, pia, abridores de lata, garrafa. Vendiam até rolha. Eu também adorava olhar a barracca dos peixes, apesar do cheiro. Eram tantos caranguejos se mexendo, lulas, e outros que eu não lembro muito bem.

O bom da feira livre é encontrar tudo bem fresquinho e selecionado. Vale acordar mais cedo e escolher a vontade, mas como minha família era bem humilde, íamos na hora da xepa mesmo (le-se: final da feira), e tudo era pela metade do preço. É claro que você acaba virando freguesa de algumas barracas e de quebra ganha uns brindes e descontos.

No meio disto tudo ainda existiam os vendedores ambulantes, com tabuleiros montados em cima de caixotes ou simplesmente no chão, que aproveitam a feira para tentar vender diversos produtos como o coco ralado fresco e as cocadas deliciosas. Os meninos do bairro, em busca de alguns trocados, montavam carrinhos com rodas de rolimã e se ofereciam para ajudar as pessoas a carregar suas mercadorias.

Até hoje para quem observa de fora a feira parece um teatro cheio de personagens, cada um com sua história. Feiras são o shopping dos cozinheiros, o fino da bossa.

3 comentários:

Cláudia Ramalho disse...

Moça bonita não paga ... mas também não leva... se diz por aqui.

Eita que me lembrei das feiras dominicais do interior onde minha mãe nasceu. Quando íamos visitar meus avós eu sempre ía à feira.

Que bom que gostou do post sobre o videoclipe. Nunca fiz no power point. Pode-se gravar em DVD nele?

Bjks

Fla disse...

Rosi, em Campo Grande onde eu morei durante anos, as feiras são a noite por causa do calor.
Lá, os legumes são lindos porque não ficam expostos ao calor e ao sol.
Outra curiosidade é que lá não se come pastel na feira. Pra eles isso é coisa de paulista.
O que a gente vai comer na feira é uma sopa japonesa chamada sobá. E não importa a época do ano, até porque lá não tem quase inverno mesmo.

=)
Beijos
Fla

Creuza Moura disse...

Deu nostalgia por aqui. Lembro que de sentir adulta quando minha mãe deixava eu pagar o feirante , ou dizer o que queria levar.kkkk Criança tem umas odideiras né.
hoje não frequento feira , no meu bairro a feira é na 4ª feira , durante o dia , e trabalhando no horário comercial não rola, mas tem a famosa FEIRINHA DA PAVUNA e ai a gente compra uma ou outra coisa, acabo me fartando mesmo no HortiFruti. ai não tem nem pastel nem caldo de cana.
bjs