31 julho 2009

O inesquecível TCC

Quem se aventurou numa faculdade em busca de uma graduação sabe muito bem o que essa sigla representa. Enfim, são longos anos matutando, planejando, escolhendo, discutindo com o orientador ou com o grupo de amigos sobre o Trabalho de Conclusão de Curso.

Nada diferente das demais pessoas, meu TCC rendeu muitas brigas e muitas noites mal dormidas. Como futuros publicitários tínhamos que escolher um produto ou serviço e desenvolver uma campanha publicitária completa, com histórico, campanhas existentes, canal de comunicação, planejamento de mídia, slogan, promoção, brindes, jingle, comercial, vinheta, anúncios de rádio, revistas, mídias alternativas, enfim uma trabalheira sem igual.



Eu e uma amiga já havíamos mudado de grupo por duas vezes, haja vista que não concordávamos com a escolha do produto/serviço escolhido. Tivemos que nos adaptar num grupo já formado, mas que nos recebeu de braços abertos. Num grupo de 07 pessoas, as meninas eram maioria, formávamos a LEMMER PUBLICIDADE & PROPAGANDA a agência fictícia que mais se destacava na sala, éramos os mais polêmicos. Escolhemos um refrigerante que está sempre à margem do líder de mercado, mas que possui público cativo conseguido através de suas campanhas que melhoram a cada dia. PEPSI, esse foi nosso produto. O slogan era: DO COMEÇO AO FIM e naquela época ele era único sim senhor, depois de 2001 vimos boaquiabertos muitos produtos utilizando um slogan parecido, aí bateu o arrependimento: 'podíamos ter patenteado', mas como 07 estudantes pobretões que ralavam para pagar a faculdade e a formatura iriam bancar esse registro? Lamentável.

E durante meses respirávamos PEPSI, só tomávamos PEPSI, só pensávamos nesse líquido preto. Tínhamos a missão de fazer uma campanha que nada lembrasse o refrigerante líder, mas sem perder a ousadia e juventude do nosso produto. Criamos uma promoção muito legal, dois comerciais (que chamamos de filme da área publicitária) mais uma vinheta. Nosso produto era mais utilizado na versão latinha de 350ml e animamos em sistema 3D a nossa mascote. Ela ganhava vida e sentia "todas as emoções" de um casal que namorava ousadamente no sofá da sala, com direito a espiar a cena, suar e até explodir com ela. Sim, essa foi a grande sacada: dar uma dose de erotismo sem parecer vulgar e sem desmerecer o produto. Já a vinheta de carnaval possuía um 'partidão' excelente em que nossa latinha sambava melhor que a Globeleza. Recebemos menção honrosa como o melhor comercial do ano de 2001 dentre todos os trabalhos de todas as turmas de estudantes. Ouvir o nome da nossa agência foi a nossa primeira vitória profissional.

Esse foi nosso grande momento, diante de nossos colegas de classe, professores, amigos e nossos pais que fizemos questão de convidar, parimos nosso filho, um filho que nasceu com dor, sem um pingo de anestesia, mas muito aplaudido. Nosso filho não foi publicado, nem virou ONG, nem empresa, apenas mais um artigo da biblioteca da Universidade São Judas Tadeu. Não utilizamos o 'jeitinho brasileiro' adquirindo um trabalho pela internet e fizemos sozinhos quebrando a cabeça nos programas gráficos da vida. E tivemos uma excelente nota. E fomos muito felizes.

Arte do Outdoor Institucional

Logo da promoção da Pepsi. O prêmio era um Fiat Strada cheio de Pepsi


Cartaz Promocional

Arte do Outdoor Promocional


André do blog BEM LEGAUS publicou as novidades da PEPSI. Passa lá para conferir http://www.bemlegaus.com/2009/07/pepsi-e-renovacao.html

5 comentários:

Lidiane Vasconcelos disse...

Oi, Rosi!
Conheci o termo “TCC” quando vim morar em SP. Na minha graduação e pós-graduação eu entreguei monografias. E não fiz em equipe, fiz sozinha. Quando soube que por aqui as graduações têm esse tal de TCC e que pode ser feito em grupo, pensei que não sei se conseguiria. Tinha tanto ciúmes dos meus trabalhos e foi um custo concluí-los... não sei se conseguiria dividí-lo com outras pessoas. Humpf! :(

Loucura, né? Querer “se lascar” sozinha para fazer o trabalho... só eu mesmo, viu?! :D

...
Então, vou fazer uma cirurgia nos próximos dias. Mas não é nada demais, bicha. Serão só 3 furinhos na barriga. ;)

Obrigada por perguntar, viu? :D
Beijos, bonitona!

Cláudia Ramalho disse...

OI, Rosi, se eu disse que me formei antes do MEc exigir o TCCC vc vai me chamar de velha? kkkk

Bem, não foi tanto tempo antes de vc, foi em 1996. Então... se chamar, eu revido, viu? kkk

Brincadeiras à parte, adorei seu recadinho carinhoso lá no bicha e fiquei toda ancha, como dizemos pro aqui, ao saber que vc gosta do meu jeito de escrever... eita, pode? Metida eu né?

Olha, fiquei vibrando ao ver vc narrar suas aventuras para concluir esse TCC. Muito criativa essa campanha. Outro dia, fiquei imaginando como deveria ser o TCC de cursos mais práticos que teóricos, como o seu, por exemplo. Seu post foi esclarecedor.

BJs

Nana disse...

Amiga, o meu TCC foi academia de artes marciais, fiz sozinha, já que dois do meu grupo não apareciam na faculdade, graça a deus, eles pagavam, além de parir, o TCC vai um dinheiro demais da conta.
O meu foi elogiado por causa de mim, consegui tirar leite em pedra, já que ninguém acreditava no produto.
Só que eles passaram juntos, tiramos nota 8 na época que era pouco e a justificativa foi: não é justo com a melhor aluna da sala.
Eu entreguei completo, os outros grupos não, passei horas viradas, até pedi folga.
Sei que terminei, sentei e chorei rs
O nosso Slogan era "entre sem bater", já que naquela época estava na moda os meninos usarem para brigar.
Falaram que foi o melhor slogan para uma academia de artes marciais.
Ahh sobre o ousada, hahaha esse é o significado real do meu nome kkkkkkkkk
O menina espertaaaaaaaaaaaaa
Bjss

Fla disse...

TCC é de matar mesmo.
O meu na faculdade foi bem complicado, porque além de o meu grupo ter que desenvolver um sistema, ainda tivémos que fazer um estudo de caso de alguma empresa ou órgão público que utilizasse do banco de dados que nos havíamos escolhido para desenvolver o nosso sistema.

Na época um dos meus amigos de grupo trabalhava na OAB em SP, e ele era o administrador de banco de dados do local, então a gente achou que estaria muito fácil.
Que engano! Foram os 6 piores meses da minha vida. Tudo atrasado, professor que demorava para corrigir, o meu amigo que demorava a passar a parte dele... olha, ainda somos muito amigos. Afinal este meu amigo casou com a outra integrante do grupo e eu sou a madrinha...rs. Mas que foi difícil foi. Nossa senhora.
O seu ficou super legal.
Acho que já disse que eu comecei a fazer publicidade né? Quem sabe um dia eu ainda termine...rs.

Beijos
Fla

Anônimo disse...

É dura essa vida de TCC, mais duro ainda é ver gente que não fez nada o trabalho inteiro ficando com uma cópia do trabalho que vc ralou para concluir, pode?
Pelo que me informei a patente não é cara, e para quem como eu não pegou nada pronto vale muito a pena!
Li um comentário sobre fazer sozinho, relamente eu tb prefiro fazer do que ter que dividir o trabalho final com outros.