17 setembro 2009

Um trabalho divertido

Por dois anos trabalhei num parque de diversões. Fiz parte do quadro de funcionários do famoso Playcenter, que nas décadas de 80 e 90 era considerado o maior parque no segmento do Brasil.

Aquele era um sonho de menina, afinal durante toda a minha infância esse era meu passeio predileto, contava os meses para que chegasse o dia das crianças, pois era esse o meu presente e das minhas irmãs. Lembro até de uma campanha do Playcenter, na qual apareciam vários brinquedos, muitos balões e crianças, com o slogan: "Me dê a sua mão e vamos juntos ao Playcenter". Eu me imaginava naquela cena e como ficava feliz.

Na primeira vez que fui ao parque tinha cerca de 06 anos. Naquela época, o famoso Passaporte da Alegria era bem caro, portanto nossa família só conseguiu comprar o ingresso, lá dentro escolhemos alguns brinquedos e pagamos a taxa referente. Confesso que meu entusiasmo era tanto, que estar ali no meio de tantas cores e gente que nem fiz questão de ir em brinquedo algum. Minha alegria era ver as demais crianças, os balões e tudo mais. Já minhas irmãs tiveram a emoção de ir na famosa montanha russa Super Jet, foi emocionante vê-las lá em cima. Mas o parque tinha muito mais para oferecer: brinquedos giratórios, teleféricos, labirinto de espelhos e atrações como o show da baleia Orca e da "Monga, a mulher-macaco". Houve um ano que minhas primas de Recife vieram nos visitar. O passeio mais esperando era ir ao parque e fomos num grupo de 15 pessoas aproximadamente, uma alegria sem igual. E foi assim durante muitos anos, sempre reservámos a data de 12 de outubro para ir ate lá.

Em 1996 fui contratada para trabalhar numa daquelas lojas de souvenirs do parque. Era o período do evento Noites do Terror e trabalhava até o fechamento do parque. Para quem não conhece, durante o mês de agosto, o parque é tomado por atores que se transformam em monstros horrorosos, no estilo Thriller do Michael Jackson. Era muito divertido, além de trabalhar num lugar descontraído, ríamos muito dos surtos que os visitantes levavam.

Durante o período desse evento e das férias escolares, o parque não funcionava apenas nas segundas e terças-feiras. Segunda era nosso dia de folga e terça-feira era o dia de manutenção dos brinquedos e organização dos demais departamentos. O mais legal desses dias é que podíamos brincar em primeira mão nos brinquedos novos que chegavam ao parque, e ainda ajudar os técnicos a testar os brinquedos, para que durante a semana tudo estivesse em perfeitas condições. Os funcionários também ganhavam um par de passaportes por semestre e minha família se beneficiou muito por isso. E foi lá que me diverti tanto num trabalho. As horas passavam sem percebermos.

Infelizmente hoje o Playcenter mudou muito. Passou por várias crises financeiras, processos de reestruturação e está voltado atualmente para um público teen, aquela magia da infância tomou outros ares. Percebe-se também um descuido com a conservação do parque, realmente muito triste, afinal aquele foi palco dos meus sonhos de infância e acredito que de muitos também.

17 comentários:

Nana disse...

Nossa, quando criança eu ia 2 vezes ao ano no Play, nunca fui na Disney, mas Playcenter centenas hehehe
Bjsss

Ana Carolina Peixoto disse...

Menina, eu fui ao playcenter!!!!! Não me lembro em que ano. Fizemos uma viagem, eu, meus pais e irmão para Sampa. Mas tem muito tempo isso! Já estive em Sampa depois, lógico! Só que a trabalho! Programas totalmente diferentes. Restaurantes e etc. Quero ir alguma dia desses com a Malu. Temos um casal de amigões que moram lá e tem uma filhinha de 1 ano. Quem sabe, em breve, não aparecemos! Bjs,
Carol

Fabiana disse...

Que legal Rosi, deve realmente ser divertido trabalhar num lugar desses. Eu sou completamente fascinada por parques de diversões, me divirto mais que minhas filhas em um. Nunca fui a um Playcenter, só aos que aparece em minha cidade vez ou outra, mas mesmo assim me esbaldo na brincadeira, rs.

Estúdio de Design disse...

Rosi
Tenho até vergonha de admitir, mas nunca fui no Playcenter. Como meu pai tinha pânico de parques de diversão, nunca me levou (fora a questão de ser um passeio super caro quando eu era criança). Acho que fui no máximo na Cidade da Criança (lá em São Bernardo), que era bem mais barato... e ele só levava porque a minha mãe pedia para nos levar. rssss.
Nunca fui muito chegada em brinquedos de parque, tinha medo de montanha russa (tanto que quando fui no Hopi Hari quase morri na minha primeira tentativa). Mas adorei o parque... fui algumas vezes... Quando decidi ir pra Disney, não tava nem um pouco preocupada em ir em parques, mas no fim das contas me encantei com os brinquedos, os shows e tudo mais.
Mas sinto falta de não ter ido no Playcenter!!!
Beijos!

Elaine disse...

Ahhh Rosi, só vc pra me fazer lembrar de algo esocndidinho na memória. Lembro-me do comercial e da musiquinha!
Amaaaava ir ao Playcenter e quando sabíamos que no dia seguinte iríamos nos divertir lá, nem dormíamos direito à noite de tanta ansiedade.
E as lenda (?) de que o carrinho do SuperJet poderia sair voando dos trilhos? Morria de medo do teleférico mas ía mesmo assim.
Passávamos o dia inteiro lá, e quando acabava, a gente nem queria ir embora. As filas quilometricas não importavam, tudo fazia parte da diversão.
Continuei visitanto o parque até quando adulta e fui duas vezes à Noite do Terror. A primeira vez foi normal e não achei tão assustador; alguns anos depois fui novamente e acho que o negócio tinha sido reformulado. Tinha uma Casa do Terror que a gente ía a pé (não em carrinho) em grupos de umas 6 pessoas. Menina, nunca senti tanto medo em minha vida!!!
O negócio era bem profissional, não dava pra ver nada na frente e os sustos apareciam do nada, de cantinhos que você nem enxergava. Uma garota que estava no nosso grupo passou até mal e teve que sair pela emergência na metade do caminho. Quando saímos de lá, minhas pernas tremiam tanto que tive que sentar no chão e esperar...afff, depois do medo era só risada!
Eu e meu irmão (desde criança até depois de adultos) sempre tínhamos que ir juntos porque nós simplesmente encaramos tudo e qualquer brinquedo, rsrsrs.
Infelizmente a magia se perdeu, um tantinho pelo deslezo e problemas que você mencionou mas acho que também um pouco por nós mesmos que olhamos com outros olhos.
Bjs, Elaine

Elaine disse...

Ahh e a Monga é um clássico da infância!!! lembro-me que nas brigas de escolas, sempre alguém acabava sendo chamada de Monga em referência à do parque, hahahaha

Luci disse...

Uau! trabalhar em parque de diversões e ainda mais um que foi tão importante na sua infância deve mesmo ter sido uma experiência e tanto hem? Muito legal!

bejus e ótimo dia!!

Ana, A menina que roubava idéias disse...

Nunca pensei como seria divertido trabalhar em um parque de diversões.

Sempre fui chamada Maria macho pelos meus pais pela minha coragem desenfreada com coisas radicais.

Hoje, depois que pari, menina, tenho um medo danado...

Que bom que aproveitamos parques. beijos.

Priscila disse...

Que legal, Rosi!
Nossa, trabalhar num lugar desses deve ser o máximo!!!! Eu adoro parque de diversão. Meu sonho sempre foi ir à Disney. Pretendo ir quando o Gui tiver uns 6 anos e a Duda, uns 3. Nem sei quem vai se divertir mais... eu ou eles.
Bjs.

Uma Mulher de Fases disse...

Oi Rosi, a minha primeira vez no Playcenter foi com a minha mãe, numa excursão da escola, eu tinha 12 anos, e minha mãe disse pra Diretora da escola que queria ir pra ajudar a cuidar das crianças, mas na verdade, ela queria mesmo era brincar...
Eu nunca fui nas noites do terror, sou cagona ao extremo, nem no trem fantasma tive coragem de entrar, mas já pulei 3 vezes de skycoaster!!

Minhas melhores lembranças são dos ônibus da excursão, cantávamos, deixávamos o motorista louco e isso naquela época era divertidíssimo.

Beijos querida!

Raquel disse...

Ola sou nova por aqui e em busca de blogs legais achei o seu. Hum eu sou totalmente fascinada por parques de diversão não conheço esse que tu disse pois moro aqui no sul mas deu para imaginar pelo que voce relatou adorei a parte dos atores fantasiados tanto pois sou atriz de teatro e me encanto por isso fico triste com a repercussão da historia mas aqui acontece o mesmo os parques nao sao como antigamente infelizmente e uma pena ne.Se puder me visita tambem.
Blog: http://kriativa.zip.net
Bjos

Denise disse...

Rosi, quando eu era criança meu sonho era conhecer o Playcenter. Mas nunca fui acredita?
Deve ter sido incrível vc trabalhar lá.
Beijos

Amarilis disse...

Saudades grande de ir no Playcenter!!!
Pena que está tão caído né? Tomara que até nossos filhotes nascerem existam parques tão legais quanto os que tivemos em nossa infância.
Bjs

Santinha disse...

Levei muito meus filhos ao playcenter quando eram pequenos.
O mais legal é que nós adultos podiamos nos divertir igualmente.
Acho que esses tipos de parques estão fadados a terminar em cidades como São Paulo. Tudo aqui toma proporçoes de MEGA; muita gente, muita fila...
Mas foi bom enquanto durou.

:: Nanda :: disse...

Playcenter me lembra excursão da escola. Eu ia pelo menos uma vez por ano e a curtição era demais. A bagunça da ida e da volta era muito boa tb. Não sou fã de noites do terror mas ja fui. Hoje vou mais ao Hopi Hari.. gosto muito de lá tb.
Mas meu xodó é a Disney (nem sei se cabe uma comparação). Lá é um sonho da onde a gente nunca quer voltar, não é?
Feito! Quando o parque do Harry inaugurar a gente bate ponto lá rs.
Amanhã volto pra prestigiar a entrevista da minha amiga querida.
bjos

Fla disse...

Menina eu amava o Playcenter. Fui várias vezes e na última, há uns 8 anos atrás, já estava bem descuidado mesmo.
Uma pena né?
Eu tinha um disco do BOZO que a capa era ele no Playcenter...kkkk.
Bjs
Fla

Helinha disse...

Que legal, Rosi!!

Você trabalhou em locais que crianças e adolescentes adoram: Playcenter e McDonalds!!

rsrs

Muito gostoso ler isso, fico imaginando o clima alegre, mesmo sendo a trabalho!!

Sempre levo meus filhos a parques aqui em BH e quando viajamos também... Eles são bem mais corajosos que eu e adoram aqueles brinquedos "adrenalinantes"!! hehe

Beijos!!