13 dezembro 2009

Buenos Aires: El primero dia

Buenos Aires sustenta o título de cidade mais européia da América Latina. Concentra em suas ruas e arredores mais da metade da população da Argentina, além de ser o centro político, econômico e cultural daquele país. Dizem as boas línguas, que é uma cidade extremamente cult, aberta à arquitetura, à cultura e à arte de todo o mundo; cosmopolita e contraditória, dinâmica e tradicional, histórica e vanguardista.*


Nossa expectativa antes de embarcar


O vôo estava previsto para as 14h20, embarcamos sem problemas, mas quando estávamos na cidade de Curitiba a aeronave apresentou problemas hidráulicos e teve que retornar a São Paulo. Tivemos que trocar de aeronave, o que resultou na chegada tardia a Buenos Aires. Se a primeira impressão é mesmo aquela que fica, já pudemos perceber que, mesmo do alto, o lugar é lindo demais.


Aeronave com problemas: que desânimo!

Deixamos as malas no hotel e fomos na Pizzaria Güerrin que fica ao lado do hotel, recomendadíssima pelo taxista que enfatizou que ali estava a melhor pizza de Buenos Aires, e como amantes da redonda fomos conferir. O local é dividido em duas partes: balcão e salão. Conseguimos uma pequena mesa no canto e pudemos conferir o que dizem da cidade: ela fica cheia até altas horas em qualquer dia da semana e o atendimento é lento. Mas a pizza é perfeita, "nuestros hermanos" carregam no sabor e no tempero, o que deixa a pizza mais saborosa, e para acompanhar uma cerveja Quilmes, é claro. A famosa cerveja é encontrada em qualquer lugar a um preço médio de R$ 5,50 a garrafa de 650ml que eles chamam curiosamente de 3/4.


A charmosa Pizzaria Güerrin


La Pizza


Rô declarando seu amor pela gelada

Demos umas voltas nos arredores do hotel para sentir o clima. As ruas de Buenos Aires tem uma identidade única, coisa que brasileiro desconhece, é algo que vemos em filmes americanos misturado com a arquitetura de Paris. Como ficamos a poucos metros da Avenida del Libertador, a mais longa do mundo que começa no Centro de Buenos Aires, no bairro de Retiro (ao lado da estação de trem) e continua até o Partido de San Isidro, tiramos algumas fotos do famoso Obelisco e da paisagem. Adoramos ver os imensos outdoors e luminosos da avenida, sentimos muita falta disso aqui em Sampa devido a lei cidade limpa que proíbe a veiculação dessas publicidades, mas por lá a variedade é imensa. Como publicitária, eu adorei tudo isso.


Avenida Del Libertador à noite


Constatamos que os portenhos são amantes da cultura mesmo, só na Avenida Corrientes (apelidada de Broadway Portena) onde ficamos hospedados contamos quatro teatros e muitas livrarias, aliás os teatros são frequentados diariamente também por grupos de crianças e adolescentes, trombamos vários deles na rua vestidos para alguma apresentação. Já os livros são os queridinhos mesmo, em qualquer lugar que você olhe tem sempre uma ou duas pessoas tomando algo com um livro na mão.

*Elton Pacheco

5 comentários:

Priscila disse...

Ai, meu Deus! Já tô vendo que os seus posts sobre essa viagem vão me dar uma vontade louca de voltar a BsAs logo!
Tô ansiosa pra ler tudo!
Bjs.

Olavo disse...

Deu vontade de viajar com certeza..
Abraços

Danee disse...

Nossa, tô adorando o seu relato sobre a Argentina. Estamos pensando seriamente em ir para Buenos Aires na nossa Lua de Mel.
Beijocas

Carlos Rufato disse...

Estou passando para conhecer esse espaço, achei legal o relato da viagem, abraço.

Elton Pacheco disse...

Oi Rosi,
Obrigado pelo crédito! Sinal de que gostou da minha observação sobre a cidade. Mas agora fiquei curioso: você constatou que é realmente tudo aquilo que escrevi?

Espero que sim!

Fique ligada no meu blog. No dia 23/12, eu embarco para mais um mochilão. Dessa vez, para o Peru e a Bolívia!! Ansiosão!

BJOS!