19 novembro 2010

Como organizar as visitas ao recém-nascido

Sem dúvida, é maravilhoso receber amigos e parentes para comemorar a chegada do bebê. Mas às vezes o entra-e-sai pode cansar você. Não se sinta culpada por isso. Você acabou de ter um filho, está às voltas entre amamentar e conseguir dormir um pouco, e aprendendo, com seu companheiro, como cuidar do bebê. Por tudo isso você pode optar em como quer receber essas visitas. Aqui, as opções. Veja a que é melhor para você:

NA MATERNIDADE
Vantagem: as visitas costumam ser mais curtas, você tem a equipe médica e seu companheiro para ajudar a cuidar do bebê e não precisa se preocupar com a arrumação de nada.
Desvantagem: você não vai conseguir aproveitar as brechinhas em que o bebê está dormindo para descansar também.

EM CASA
Vantagem: você pode chamar todo mundo de uma só vez. Vai ser aquela loucura, mas pelo menos é um dia e você vai ter ajuda para organizar a casa depois.
Desvantagem: como você está em casa, as visitas podem esticar a saída um pouco mais ou chegar bem tarde.

NA CASA DA MÃE OU DA SOGRA
Vantagem: você não precisa se preocupar com a organização, um amigo inconveniente pode ser mais polido na casa de outra pessoa e você pode ir embora antes que todo mundo saia.
Desvantagem: casa cheia significa muitos colos por onde seu bebê pode passar. Essa agitação, ainda que controlada, pode deixá-lo bem agitado, o que dificulta a hora de dormir.

Importante: o bebê acabou de nascer e não tem nenhuma imunidade, portanto, visitas devem ser com muita cautela. Evite que peguem o bebê no colo por muito tempo e por pessoas diferentes. Também é papel seu, como mãe, ter bom senso. Portanto, não permita que seu bebê tenha contato com pessoas doentes, até mesmo com um simples resfriado.

Da Revista Crescer

7 comentários:

Tati Pastorello disse...

Rosi, o Bê nasceu um pouco antes da hora, então a recomendação do pediatra foi que só recebesse visitas depois de 30 dias. Eu adorei! Nas primeiras semanas tudo é tão novo e assustador, a gente não conhece o bebê e ele não nos conhece, é uma rotina 100% nova. Quando as visitas vieram a gente já estava mais tranquilo. Alguns ficaram chateados, acredita? E de pirraça não vieram quando as visitas foram liberadas. Só lamentei, mas meu filho não precisava de visitas assim. Lembre-se de colocar sempre, em primeiro plano, o Dudu. Terá gente querendo pegá-lo no colo, colocando as mãos nele antes de lavá-las, dando beijo nas mãozinhas ou no rosto... é uma feira! kkk Mas é bom ver o sorriso e a alegria das pessoas queridas ao receberem nosso pequeno príncipe. Boa sorte com suas escolhas! rsrs.

Bruna disse...

Oi Rosi,
Sabe que isso é algo que me preocupa, mas ao mesmo tempo não sei bem como controlar.... As pessoas fazem as visitas de bom coração, mas nem sempre têm simancol... dessa maneira nao sei como dizer não ou controlá-las....
Eu acho que os primeiros dias vão ser mesmo cansativos....

Beijos
Bru

Elaine disse...

Rosi,

Ihh isso é um problema. Dependendo da família, qualquer coisa que vocè fale acaba ofendendo; mas é preciso ser firme pelo bem do bebê. Marido tem que ajudar muito nesta hora.
Eu mesma, prefiro visitar as mamães e bebes na maternidade, assim rapidinho. Depois em casa somente depois de 3 meses.
Sofri muito na época do Gabriel. Mesmo na maternidade as pessoas vinham visitar e às vezes ficavam o dia todo lá (não estou brincando). Ainda que eu saiba que eles estavam lá por carinho, putz cansava muito. Depois em casa, tive que coordenar os horários pq morava num apto minusculo que não cabia muita gente. Foi complicado, ás vezes juntava duas visitas e ficava impraticável. Além do fato de eu não conseguir dormir durante o dia por conta das visitas e nem à noite por conta das mamadas do bebê. Se fosse hoje, eu nem me importaria por passar por chata para a família, falaria claramente para virem visitar depois de 2 meses, me pouparia muito stress.

Marta disse...

A questão é que haverá visitas sempre! Só que elas tem que ter noção de que há uma pessoa pequena e que a mamis estará em casada com a nova rotina!
Tem gente que não tem noção e acha que pode ir chegando a qualquer hora e momento, sem avisar!
Beijocas

Lindinha* disse...

Comigo foi tranquilo, não moror na minha cidade natal, moro na do marido, então ele que controlou as visitas da família dele, e como ele é o "chtao respeitado" na família, as pessoas ligavam e pediam pra avisar quando podiam vir visitar...às vezes é bom ser considerado chato né ;)
Mas acho que nessa hora tem que ser chato mesmo, e preservar o bebê,afinal ele ainda não está imune a muitas doenças e é muito frágil principalmente no primeiro mês.
bjs

Edna Fernandes disse...

Por mim nos primeiros 30 dias só a familia mesmo,mais como nao tenho como impedir ninguem, se me pertubarem vou ser bem cara de pau e mandar todo mundo vazar da minha casa eseseses.
bjs

ANA CLÁUDIA disse...

Rosi, tem que ter muito jogo de cintura para administrar essas visitas. No meu caso, sou mãe de um menino que hoje tem 7 anos, mas nem pensei nisso quando ele nasceu, foi uma experiência horrível, com casa cheia até 23:00h, meus pontos da cesárea inflamaram, eu super inchada, paciência zero e tento que fazer a social para a família, principalmente a do meu marido.
Agora, nasceu a Patricia que hoje está com 6 meses, e eu pensei nisso logo de cara. Falei com as pessoas bem antes de nasceu para ligarem antes das visitas, e as minhas super amigas do peito mesmo, pedi gentilmente, que só me ligasse após os primeiros 15 dias para eu poder me organizar quanto as visitas.
Amiga deu super certo, foi tudo tranquilo, as pessoas entenderam e eu consegui aproveitar ao máximo o carinho das pessoas.
Boa sorte vou ficar te acompanhando bem de perto.
Um grande beijo.
Ana Claudia.
anaclaudia2006@oi.com.br