28 fevereiro 2011

A saga do pediatra - Parte II

Depois da triste experiência com a pediatra general homeopata, resolvi procurar outro pediatra para o Dudu.
Infelizmente não dirijo e tenho que procurar consultório que fiquem localizados estrategicamente para que possa levar o baby sem problemas. Encontrei um próximo à minha casa, claro que teria que pegar um ônibus, mas por um curto espaço de tempo.

E lá fomos nós na última quinta-feira para a nova consulta. E novamente minha intuição não falhou, a primeira impressão foi que o médico era um pouco desatualizado e isso não foi só por sua aparência ou estado de seu consultório, mas sim pelas perguntas que ele fez.

Conversamos rapidamente sobre a amamentação e soabre o peso do Dudu. Para minha felicidade, ele engordou 280gr em 7 dias com a combinação dos dois leites. Fui aconselhada a não mudá-la, e pela primeira vez (e esse foi o ponto positivo da consulta) ele disse que nem sempre a teoria da amamentação exclusiva é possível. Ponto para ele.

Mostrei o umbiguinho do Dudu que estava com vestígios de sangue parecendo uma inflamação. Ele receitou um bastão de nitrato de prata, mas não tinha certeza se esse medicamento era ainda comercializado, então acessou a internet para confirmar... juro que quase ri, porque pensei: Se não fosse trágico seria cômico (ou o contrário). Depois de um bom tempo navegando na net, ele pegou sua  agenda telefônica e ligou para alguns médicos amigos para perguntar qual o medicamento que eles normalmente receitam. Deus, juro que quase saí correndo de lá, mas fui educada como deve ser, esperei pacientemente a ligação terminar, a receita ser entregue e fui embora.

Apesar de ser simpático e mais sensível no tratamento de seus pacientes, definitamente esse não é o pediatra que quero para o meu filho. Será que estou sendo exigente? Acredito que não. Só sei que virou uma saga encontrar um médico decente. Ou será que essas coisas só acontecem comigo???

3 comentários:

Tati disse...

Rosi, nos seis anos do Bê ele teve 5 pediatras. E se precisar (espero que não precise), troco de novo! A gente não pode ter medo. Parar em um só por que "não devemos mexer". O pediatra tem que ser de confiança. Se você tem dúvidas sobre ele, como pode entregar seu filho? Tenho certeza que encontrará alguém em quem confiar.
Um beijo.

Flavi disse...

Rosi, achei muito engraçado rsss... Mas, bastão de nitrato de prata é tudo nesses casos, mas assim como ele também estou desatualizada rss... Minha filha hoje com 15 anos fez uso desse bastão, pois o umbiguinho demorou a cair e quando caiu ficou um pedacinho preso então a pediatra dela receitou esse bastão que foi uma maravilha eu na época acabei usando para eliminar duas verrugas que apareceram no meu joelho, depois disso nunca mais precisei do tal bastão então nem sei se ainda existe no mercado.
Concordo com a Tati, você vai ter que procurar pediatra até encontrar um que te agrade de verdade.

Beijosss

Sandra Hellen disse...

Que saga heim?!! Essa semana eu comentei com o esposo sobre isso, de que no Brasil o bebê precisa de um pediatra depois que nasce...aqui a mesma neuvola (enfermeira) que me acompanhou durante a gestação também vai acompanhar meu filhote, hoje ela fez a primeira visitinha em casa!!

Espero que logo, logo você encontre um Pediatra pro Dudu!!!

Beijos