17 outubro 2007

Seriados, séries e afins

Nunca consegui acompanhar seriados na TV. Meus horários não são fixos e por isso eu sempre perdia episódios e ficava tudo meio que sem pé nem cabeça.
Mas uma vez peguei emprestados aqueles boxs de DVD’s do Smalville e gostei bastante, fui até a 4ª temporada. O Ro fica inconformado com o fato de eu nunca ter assistido a um episódio sequer do Heroes, até começar a veiculação de chamadas no seriado na Record, eu nunca tinha ouvido falar. Já aqueles Gilmore Girls, O vidente, Lances da Vida e outros, eu simplesmente desisti, o SBT me irrita profundamente com as inúmeras reprises.
E o Desperate alguma coisa, a Rede TV tá fazendo o maior pouco caso com nossa capacidade intelectual. A esticada da Sônia Braga (quem disse que ela interpreta bem?), narrando os episódios (ai). A Lucélia Santos agora é uma comediante depois de ser Isaura por muito tempo (...), e a dublagem Argentina?!
Agora ver aquele Simple Life com as patricinhas loiras, ninguém neste mundo insano merece. O pior é que a versão da Record não passa de uma cópia tupiniquim dos EUA – brasileiro tem mania de achar que tudo que é americano é bom. Veja o apelo: mulheres lindas e famosas abrem mão de seus celulares e de toda a regalia que o dinheiro pode comprar. E eu quase morro com isso.
Por caridade: me dêem uma TV por assinatura! Aceito qualquer uma.

2 comentários:

Carlinha disse...

Me identifico com você na opinião quanto ao tal "Simple Life Tupiniquim" e as "Donas de Casa Desesperadas", mas confesso que não consigo abrir mão de "Gilmore Gilrs", só que por não ter TV paga, acabei comprando quase toda a série...
Beijocas!

Seja Simples disse...

O que na tv brasileira pode ser considerado oficialmente nosso? Raras excessões! Pior que ver Simple Life é aturar o Jô numa cópia descarada do David Letterman. Até o cenário é igual! Deus nos livre.