22 setembro 2009

Criança é uma tábua rasa

Minha querida amiga Yvone do blog Casas Possíveis publicou um texto ótimo sobre a importância de envolver as crianças em serviços domésticos, dia desses. Me fez da minha infância e o quanto foi importante para nós, quatro meninas, aprender desde cedo essas tarefas.

Para manter a organização da casa e o aprendizado das filhas, minha mãe tinha um certo esquema do que é ordem x compensação. Como ela sempre trabalhou fora, eram minhas irmãs mais velhas responsáveis pela limpeza da casa, é claro que a mais pesada fica sob a responsabilidade dela, mas minhas irmãs lavavam a louça, arrumavam as camas e tiravam o pó com perfeição.

Até atingir o nível de perfeição da minha mãe, ou o que era aceitável, minha irmã mais velha era obrigada a "arear" as panelas quantas vezes fosse necessário até que elas estivessem brilhando. Naquela época quase não existiam panelas com teflon e o orgulho das donas de casa eram exibir suas panelas brilhando. E não é que minha irmã pegou gosto pela coisa! Até hoje o título da "panela mais areada" é dela, acho que isso a deixa orgulhosa. Também sabíamos encerar a casa, como o piso era o famoso "vermelhão" e nunca tivemos aquele eletrodoméstico dos sonhos de toda dona de casa - a enceradeira - lustrávamos com uma peça de lã. Mamãe ficava orgulhosa com aquele chão brilhando, mas nos dava bronca quando via nossas meias brancas todas manchadas de vermelho. Era sempre o mesmo discurso: Põe o chinelo, menina!

Outro artifício que minha mãe usava era quanto à arrumação das camas. Ela dizia que ao levantar é preciso arrumar a cama que dormiu, ao contrário o anjo da guarda ainda fica lá (até que soa bonitinho e serve como sugestão).

Já adolescentes e querendo a todo custo sair nos sábados à noite, minha mãe colocava uma condição: fazer uma bela faxina na casa para poder ir às festinhas e quermeses. Como éramos em quatro, nos dividiámos e cada uma ficava com um cômodo tornando o trabalho mais prático e rápido. A hora mais esperada era quando minha mãe chegava, dava aquela fiscalizada e enfim aprovava nossa saída. Mas se caso não estivéssemos em casa no horário combinado (e tinha que ser em ponto) ou chegássemos separadas, o passeio da próxima semana estava cancelado, é claro que isso não se aplicava à faxina.

Hoje concluo o quanto foi importante essa rigidez, sabemos fazer tudo, não sofremos quando ela estava ausente e nem mesmo em situação que viajávamos ou casamos. Todas sabem lavar, passar e faxinar. Cozinhar também fez parte desse processo, aprendemos apenas o trivial é verdade, mas fomos nos aperfeiçoando com o tempo. Já o dom de costurar, bordar ou tricotar ficou fora disso, não que minha mãe não saiba, mas acredito que faltou tempo.

Minhas irmãs seguem a mesma linha com seus filhos, mesmo sendo meninos, pequenas tarefas eles fazem sem reclamar, como lavar louçar, retirar os pratos da mesa após uma refeição, arrumar as camas, retirar o lixo, e como hoje há homens em todas as áreas até mesmo na cozinha, envolvê-los nesses pequenos serviços é mais fácil e por que não dizer prazeroso

20 comentários:

A Madrasta Má disse...

Como boa Madrasta má que sou, acho que tem que começar desde cedo mesmo hahahahahahaha! Cinderela que o diga! Brincadeiras à parte acho importante o envolvimento das crianças na vida doméstica e de sua contribuição! Bjinhos da Madrasta!

Fabiana disse...

É muito importante esse aprendizado. Minha irmão mais velha tem 08 anos de diferença, e aprendeu muito com minha mãe, é tanto que faz tudo o que vc imaginar numa casa, e com perfeição. Eu casei tão nova, que não tive tempo de aprender muitas coisas, não sabia fazer nada de comida, sofri um bocado. Hoje em dia, já passo para as minhas filhas a importância desse aprendizado. Além dos seus afazeres diários, que cada uma tem, quando é dia de faxina, todo mundo ajuda.
Bjs!

Érikinha disse...

Adorei o texto, realmente é fundamental esse aprendizado desde pequeno.

Aproveitando... escrevi um texto com um tema um quanto polemico, sobre poliamorismo, dá uma passadinha por lá pra deixar sua opinião. Os visitantes do seu blog também estão convidados para opinar!

Bjs

Santinha disse...

ótimo Rosi! Isso mesmo, lembrei-me de cada experiência sua e das irmãs.
Lã em casa a louça era nossa, a faxina de sábado (ja que tb. começamos a trabalhar cedo) era nossa e a recompensa era ter o sábado à noite para sair.
Tenho dois garotões que sabem fazer tudo dentro de uma casa, e por incrivel que pareça a menina é a mais folgada.
Temos que lembrar sempre desses ensinamentos pq. nos dias de hoje ninguém pode depender de ninguém.
Fiquei contente por tê-la inspirado.
Bjk

Casa Corpo e Cia. disse...

Oi Rosi,
Eu acho que este ritmo de educação é que realmente faz a diferença e educa pra melhor uma criança. Hoje em dia é difícil demais ver os pais empenhados em corrigir as vontades dos filhos, mas muito mais vigorosos para fazer as vontades deles. Na minha época, criança não interrompia a conversa dos adultos... hoje, eu mal consigo conversar em paz com minhas amigas que tem filhos...
Não tenho filhos ainda, mas quando tiver, com certeza irei resgatar a educação que tive, e que me fez ser quem sou.

Adorei o post lindinha!

Ótimo dia! BjOs,

Re.

Raquel Machado disse...

Ola ca estou eu novamente...vim fazer um convite especial para voce conhecer um novo projeto que estou lançando http://kriativagames.zip.net se puder da uma passadinha ah se quiser me fazer uma visitinha no meu blog tambem ficarei feliz.http://kriativa.zip.net

Bjos

Aline disse...

Oi Rosi!!
Acho fundamental que a mãe coloque (e o pai aprove claro, pq tem muito pai que briga com a mãe dizendo que filho dele não arruma casa) as filhas e filhos para ajudar em casa. E acho que o motivo principal nem seja arrumar em si, mas ensinar as crianças desde cedo a se virar na vida, a dar valor nessas tarefas domésticas (porque ele vai pensar duas vezes antes de sujar um monte de louça e largar na pia). Além de ensiná-los o valor de todo trabalho, independente de formação ou colocação. Acho que isso deveria fazer parte da educação dada aos filhos, tendo ou não uma empregada em casa.

E sobre a ferramenta de informações, é só você entrar aqui: http://www.google.com/analytics/
Daí inscreve seu blog, ele vai te gerar um código. Você adiciona um gadget na sua página de html e insere ali o código. Se tudo der certo você começará a receber esses dados em mais ou menos 24h.
Qualquer coisa me grite!!

Beijoss

Fla disse...

Rosi, em casa sempre ajudamos minha mãe. Confesso que eu era na base da palmada e fazia tudo emburrada, mas fazia.
Minha irmã tinha iniciativa, mas ela sempre quis o papel de boazinha...hahahaha, pra depois jogar na minha cara que eu era ruim (olha a mágoa...kkkk).
Mas acho que isso só nos preparou para a vida. Saí de casa sabendo fazer tudo, e acho um absurdo que muitas amigas não saibam nem lavar uma roupa.

Beijos

Isabela Kastrup disse...

Queridaaa, passando para agradecer a visitinha! Quanto ao post,acho fundamental esse tipo de educação. A gente amadurece muito mais rápido e fica mais independente. Ah, me diz uma coisa; Há um tempo recebi um convite para uma entrevista. Deixei para responder depois, mas acabei me esquecendo. Queria saber se foi vc? Me lembro que foi uma Rosi. Muito chato porque até parece pouco caso, mas não é não!!
Super beijo,
Isa

Priscila disse...

Acho que a sua mãe estava certíssima. minha mãe sempre me deu muita moleza. Só aprendi a cuidar da casa quando fui morar sozinha, com 18 anos. Mas pretendo ensinar o Gui a fazer pequenas tarefas, quando ele for maiorzinho...
Bjs.
Pri

João Olavo-Traços de um homem disse...

Nunca fiz divisão de tarefas..sou filho unico..
mas minha mãe fazia ajudar e meu padrasto achava o cumulo por eu ser homem ela fazer isso..
Hj ajuda muito saber algumas coisas morando sozinho.
Beijos

Alethéa Casal disse...

Lendo seu texto me lembrei da minha época... era assim mesmo... cada uma de nós com suas tarefas... e na casa das minhas amigas também era assim!

Hoje vejo que muitas mães não envolvem mais seus filhos nos afazeres domésticos. Não acho isso bom. Acho que envolvê-los traz responsabilidade.

Boa reflexão!

Uma Mulher de Fases disse...

Rosi, acho que as crianças devem sim aprender a ajudar, sem abusos, pois sabemos que existem!
Eu com seis anos pedi pra lavar a louça, pois pra mim era uma brincadeira com água! Minha mãe me ensinou e eu também depois de mais crescida trabalhava no regime de compensação! Ela pegou muito no meu pé com limpeza e com isso hoje sou dona-de-casa melhor que ela, faço a faxina beeem melhor que ela, isso são palavras dela mesmo, ela vive me pedindo ajuda quando estou de folga, rs!
A Raphaela tem dois anos, mas já recolhe os brinquedos e leva pro quarto, o Gabriel com 5 arruma a cama do jeito dele, depois eu vou e conserto, mas o importante é fazer com gosto sem o peso da obrigação, ele mesmo já gosta de ver o quarto arrumado, como sou meio neurótica com limpeza, tento mostrar quão é gostoso ficar numa casa limpa e cheirosa pra que eles não se sintam obrigados a fazer...quando crescerem mais, acho que o regime da compensação vai ser uma boa!
Me empolguei, isso tá ficando um post, rs!
Beijos e até a volta!

Creuza Moura disse...

Oi Rosi
Vim matar a saudade...

lá em casa eramos muitos 4 na ultima leva num total de 10, e ajudar era a palavra de ordem. mas eu sempre dei um jeitunho de fugir da cozinha, nao levava o menor jeito pra cozinhar...
hoje aplico este método com o filhote de 9 anos e como toda criança tem seus dias de má vontade mas arruma a cama e coloca tudo o que tirou no lugar, já lava a louça e como boa fly já o ensinei a deixar a pia brilhando!
não tenho do que reclamar e so colho elogios, quando fica com a minha mãe e o neto mais organizado, dificil ele sair do banho e deixar o banheiro molhado ea toalha embolada. os primos e que ficam gastando ele .kkkk
passei pra saber das novidades e bater este papo de comadre
um beijo estalado

C

Estúdio de Design disse...

Rosi
Te vendo falar, parece q tive uma educação muito próxima à sua! Também tinha que ajudar nas tarefas de casa. O que achava super chato quando criança, vejo que é super útil nos dias de hoje. Ainda não me mudei para a minha "futura casa", mas já cuido da faxineira, da ordem na casa e das compras (além da cozinha). Assumir a casa sozinha é bem mais difícil. Falo que tenho dificuldade com as roupas, mas sou ótima em organização e cozinha... sem a educação que tive, não saberia como cuidar da casa.
Pretendo dar a mesma educação, pois isso não era punição, castigo e sim aprendizado!
Beijos!
Lele

Nana disse...

Deus do céu, tu me lembrou a minha mãe agora, ela fez eu ariar uma panela 15 vezes antes de eu ir para praia hahahaha
Gente, peguei traumaaaaaaaaaa
Amiga, vamos nos encontrar em dezembro?
Deixei lá no manga a sugestão.
Bjss

Elaine disse...

Rosi,
Eu concordo com você. Meus dois sobrinhos, menina e menino, dividem entre si as pequenas tarefas diárias. Igualmente.
Beijos.

disse...

Desde criança minha mãe sempre ensinou que a melhor forma de colaborar para ter uma casa limpa é mantê-la organizada.
E apesar de não conseguirmos tempo para ajudá-la nestas tarefas como deveríamos, pelo menos contribuímos ao não deixar absolutamente nada bagunçado.
Ótimo post!
Bjs

Fabi Carvalhos disse...

Rosi, Sophia, mesmo que quisesse, n ão conseguiria fugir da arrumação, não. Ela já me 'ajuda' co m a vassourinha dela, junta os brinquedos, é louca p/ lavar a louça, pois adora água, e tem adorado me ajudar na cozinha tb. Sou muito organizada e detesto bagunça e sujeira, então, como ela adora me copiar, vai fazendo tudo igualzinho. Fofa demais! Acho q tem que ser assim mesmo, os filhos tem que desde cedo aprenderem a ajudar na arrumação, e terem noção de organização e higiene. Beijão, Fabi.

Luci disse...

Eu e meu irmão também fomos educados assim e foi muuito bom!!!!

beijuss