29 outubro 2009

Lembra da minha voz?

Sempre me questionei o motivo de algumas pessoas terem voz tão infantilizada. O mais engraçado é que geralmente a voz combina com a aparência, pequena e frágil. Como profissional de comunicação, sei que controlar o ritmo, volume e dicção pode ajudar muito uma pessoa a passar a mensagem.

A capacidade de falar de modo simples e claro é um dos instrumentos mais preciosos e poderosos que o ser humano tem. O bom uso da voz está ligado à respiração. Isso porque respirar corretamente ajuda na renovação da energia, melhora a fisiologia, faz com que você pense com mais clareza e fale com mais segurança. A respiração diafragmática é a mais indicada para quem fala em público.

Conheço pessoas que, além de ter a voz fina, fazem de tudo para infatizá-la mais, criando palavras e trejeitos como fazer beicinho, no estilo Tati Bi Tati. Cientificamente, essas pessoas não incorporaram seu amadurecimento de idade e do corpo e querem, a todo custo, manter-se jovens

8 comentários:

Ana Carolina Peixoto disse...

Rosi,
Além da voz, tem tb o vocabulário que a pessoa usa. Sempre indica como a pessoa é. O que eu acho mais engraçado sobre a voz é o fato da gente escutar a nossa voz diferente das pessoas. Quando escuto a minha voz gravada ou em forma de eco... Acho horrível! Nem parece que sou eu!
Bjs,

PS: Tô com saudades de vc! Por onde andas? Tá tudo bem? Será que os meus assuntos te desinteressaram? rs! Tive que programar vários posts para essa época que estou estudando... Eram post sobre assuntos que estavam no forno há meses... Nada muito elaborado e sem fotos! Esse é o motivo da sua ausência na minha vida? rs!

Alethéa Casal disse...

Esta coisa de voz é complicada... quase ninguém gosta da própria, né? Lembro que, na Faculdade, nas aulas no laboratório de rádio, era aquele fuzuê pq todo munod reclamava da própria voz! rsrsrs

Aqui onde trabalho eu faço mestre de cerimônias de formaturas. Aprendi a trabalhar direitinho a minha voz para isso. Todas as suas constatações estão corretíssimas.

Abraços!

Fabiana disse...

Ai, as vezes também irrita né? Não conheço ninguém próximo com esse modo de falar, mas se fosse no trabalho, sei não viu, rs.

Saudades lindona de vc!

Bjão!

Nana disse...

Ai amiga, como RP eu aprendi a ter postura na hora de falar, mas imagina uma dislexia falando, aprendi a procurar novas palavras para não me perder no meio do caminho.
Mas falam que a minha voz é de mulher sexy, oi?!
Bjss

Fla disse...

Rosi, conheço tanta gente assim.
Mas sabe, existe tratamento para tudo, e acho comodismo das pessoas que falam assim e não procuram tratamento.
Pois é amiga, Freud explica!
Beijos

Cláudia Ramalho disse...

Ih, que hoje ela bancou a fonoaudióloga psicóloga!!! Ninguém segura essa menina!

***
Rosi, pois aqui Mário é louquinho por massas. Foi por causa dele que eu até comprei uma máquina de fazer macarrão. O pior é que ele fica me atiçando... dizendo que só come o meu nhoque e nenhum mais, que ele é melhor que o do "Massarela" (o melhor restaurante italiano que tem aqui). Pode? Assim, não tem como negar um pedido todo suspeito desses... kkkk

PS: o fato dele dormir com a cozinheira não influencia nadinha esse julgamento, hein! (cof, cof, cof)

Cybele Meyer disse...

Olá Rosi, tudo bem?

Venho lhe convidar para participar da Blogagem Coletiva “Educação Financeira Infantil”. Como educadora me preocupo muito com os valores, ou a falta deles, que são passados para as crianças. Criança é um ser em formação e os atos que vivenciam podem ser incorporados na construção da sua identidade sendo fundamental na postura que terá durante a vida.
Participe ajudando a formar a real concepção sobre a Educação Financeira Infantil.
URL http://migre.me/a6ab Registre sua participação nos comentários
Não deixe de pegar o selinho.

Conto com você!
Abs
Cybele Meyer

Luci Cardinelli disse...

Isso é uma das coisas que me irrita profundamente.
E aquelas mulheres falando de boca mole? arrastadas... aff!!!!

beijo