18 janeiro 2010

Dignidade já

Não sou fã do BBB. Na minha opinião a fórmula está gasta e repetí-la aliena quem assiste. Acho que o horário poderia ser utilizado com algo novo e talvez mais cultural. De qualquer forma, respeito quem gosta e sempre dou uma espiada no que está acontecendo para não ficar tão por fora.
Para minha grata surpresa, essa edição traz pessoas bem diferentes das edições anteriores, demostrou pluralismo, um conceito inteligente. Finalmente resolver "tropicalizar" o programa e dar espaço à classe GLBT. Desta vez, há um gay (assumido de verdade), uma lésbica (bem feminina) e um transformista que ficarão encarregados de dar aquele colorido especial. Adoro!!! Logo nos primeiros dias, o trio mostrou o que tem de bom, a declaração da Drag Quenn sobre o quanto respeita e admira as mulheres foi digna de palmas.
Nossa sociedade precisa entender e aceitar as diferenças e essa abertura é muito importante, um certo avanço. É claro que muitos preconceituosos irão se manifestar, inclusive dentro do próprio programa, mas a classe GLBT precisa ser respeitada.

9 comentários:

Priscila disse...

Rosi,

Adoro Big Brother! Pronto, falei!

Rsrs.

Adorei também os três. Já ganharam a minha simpatia. Corajosos e determinados.

Bjs.

:: Nanda :: disse...

Hum... eu não estou acompanhando em nada esse BBB.
Mas fico feliz que eles tenham colocado pessoas para diferenciar as outras edições.
Também não tenho preconceito contra a classe GLS.
O importante é ser feliz, respeitando o próximo sempre!
beijos

Fabiana disse...

Eu não sou muito chegada ao BBB, não assisto mesmo! Até porque o pessoal não tem mais nenhum senso de ridiculo! Mostram o que quer e o que não quer.
Apesar de tudo, falando sobre o post, achei válido a inclusão de homossexuais assumidos, até porque preconceito sem chances né?

Muitas beijocas!!!

Katia Bonfadini disse...

Rosi, eu também não gosto de BBB, nunca gostei, mas acho que você está certíssima quando diz que o perfil dos participantes está mudando. E acho ótima a escolha de três homossexuais para interagirem no programa. Eu defendo a união civil de pessoas do mesmo sexo e gostaria muito que as pessoas respeitassem outras orientações sexuais. Talvez seja um aboa iniciativa da Globo, vamos ver... É ngraçado que eu adoro reality shows, mas não do tipo que um bando de gente fica confinada numa casa. Gosto de programas como Top Chef, Top Design, Project Runway, Hell´s Kitchen, Perder para ganhar etc. Na minha opinião, são reality shows que priorizam desafios criativos e é isso o que me chama a atenção. Beijão e uma ótima semana!!!!

Luci Cardinelli disse...

Rosi, num país que ainda existe tanto preconceito de raça, acredito que que vai levar muuuito tempo ainda para melhorar em relação aos GLS. As pessoas precisam aprender a respeitar mais o outro mesmo que não concorde e respeito é algo que vem diminuindo, infelizmente.

Aana Maria disse...

Sabe que as vezes me divirto com o BBB. E o Serginho, gay assumido, é muito divertido. quando estou sem fazer nada e sem sono, assisto mesmo. Mas não me prendo por isso. Bjs

Cláudia Ramalho disse...

É polêmico. Não sou fã do programa. Nunca assisti nem pretendo. Mas se o povão só entende essa linguagem, que o pluralismo venha dessa forma.

Bjks pra vc, minha querida e ótima semana.

Cláudia Ramalho disse...

Ah, só pra esclarecer, minha opinião sobre os reality shows é muito parecida com a da Kátia. Gosto de programas que envolvem desafios. E não acho que o BBB acrescente nada de bom.

Nana disse...

Concordo contigo sobre o respeito, mas amiga, a globo deixou a muito tempo em pensar em algo cultural na sua programação rs
bjsss