19 fevereiro 2010

Gente que faz


Por amor aos livros

Luci Cardinelli é uma das surpresas mais agradáveis que encontrei na blogosfera, pelo seu jeito, simplicidade e sabedoria para enfrentar as coisas da vida. E entre visitas e comentários, descobri o quanto ela gosta de livros, aí foi identificação total. Pedi que ela contasse sobre os seus livros prediletos e ela topou de bom grado.

*Conta pra gente como começou sua paixão pelos livros.
Minha mãe estudou até o dia que meu avô disse que mulher era para casar e não estudar e ela teve que parar. Os livros sempre foram sua grande companhia e sua janela para o mundo. Não consigo me lembrar de um só dia que ela não estivesse lendo algo. Era através deles que ela conhecia os lugares, pessoas, histórias e estórias. Ela passou isso para meu irmão, para mim e para muita gente que comentam a importância que isso teve em suas vidas. Antes mesmo da minha cunhada engravidar ela já havia comprado a coleção de Monteiro Lobato para a neta. Foi entre os 11 e 13 anos que li O Pequeno Príncipe, O Menino do Dedo Verde, Poliana Menina e Poliana Moça, além de clássicos como A Moreninha e Olhai os Lírios do Campo. Aos 16 anos descobri meus autores preferidos: Clarice Lispector, Carlos Drummond de Andrade e José Mauro de Vasconcelos, que considero o autor mais injustiçado desse país.

* Como você escolhe um livro?
Eu não sou aquela leitora compulsiva, que lê de tudo. Também não sou daquela que se pegar um livro e sentir dificuldade em lê-lo, vê isso como um desafio e insiste até chegar ao final como uma questão de honra. Tenho que gostar de algo, tenho que me sentir atraída. Um exemplo foi outro dia numa livraria onde vi um livro com um título que eu jamais compraria: “Fome” de um autor que eu não conhecia, mas estava escrito na capa que havia sido traduzido por Carlos Drummond de Andrade e isso bastou para que eu o comprasse. Pensei: “Drummond não pararia para traduzir um livro ruim”. 
Há escritores consagrados que eu nunca consegui ler, como Jorge Amado, por exemplo. Por diversas vezes tentei mas não consegui passar das primeiras páginas. Não quero dizer que o que ele escreveu não seja bom, longe de mim, apenas que sua literatura não me prende. Como o nosso tempo não é suficiente para ler tudo que gostaríamos, escolho a dedo o que vou ler para tirar o máximo. Ler para mim é algo que tem que me dar prazer. Adoro entrar na livraria e ficar flertando com os livros até encontrar aquele que sinto um comichão e curiosidade. Meu parque de diversões é a Bienal do Livro, geralmente vou a falência.

* Qual o estilo que mais lhe agrada?
O que mais gosto de ler é sobre vida, suas experiências e emoções, pois acho que isso nos enriquece como pessoa. A vida é muito curta para vivermos tudo, então através dos livros você pode conhecer muita coisa que jamais viverá, mas que lhe ensina e ajuda a viver melhor sua vida.

* Na sua lista, quais são os cinco livros que todos devem ler?
Outro dia eu parei diante da minha estante e pensei: Se eu tivesse que ir para um lugar pelo resto da vida e só pudesse levar 5 livros, quais eu levaria? Não foi fácil e 5 virou 7.
- Água Viva – Clarice Lispector (o primeiro que li aos 16 anos)
- Fernão Capelo Gaivota – Richard Bach (minha primeira lição de vida, lido também aos 16 anos)
- Nova Reunião – Carlos Drummond de Andrade (23 livros de poemas)
- O Pobre de Deus – Nikos Kazantzakis (vida de São Francisco de Assis)
- As Confissões do Frei Abóbora – José Mauro de Vasconcelos (um dos grandes contadores de histórias – também tenho grande paixão por Rosinha, Minha Canoa)
- As Grandes Lições da Vida – Hal Urban (embora considerado de autoajuda, não acho que seja assim simplesmente, mas se é assim, é o melhor de todos e sempre estou recorrendo a ele)
- Bíblia – Creio que até mesmo quem não crê em Deus deveria lê-la, ela tem todas as respostas e lições que precisamos para viver melhor.


* E quais são os melhores?
Não sou de ler livros apenas por estarem na lista dos mais vendidos ou porque todo mundo está lendo, como já disse ele tem que me atrair. Assim como acontece com os filmes, não ligo para críticas, gosto de experimentar. Os últimos que li que mais gostei e recomendo são:
- A Distância Entre Nós – Thrity Umrigar
- Doidas e Santas – Martha Medeiros
- A Montanha e o Rio – Da Chen
- A Menina que Roubava Livros – Markus Zusak
- O Silêncio dos Amantes – Lya Luft
- Comer, Rezar, Amar – Elizabeth Gilbert
- A Cidade do Sol – Khaled Hosseini
- A Última Grande Lição – Mitch Albom

* O que você está lendo?
Atualmente estou lendo “Clarice“ de Benjamin Moser. Biografia de Clarice Lispector, uma mulher tão misteriosa. Nunca vi uma Biografia tão rica e bem escrita.

Luci tem dois ótimos blogs, em um deles ela faz divagações da Vida. Noutro ela demonstra toda sua criatividade. Passem por lá.   

13 comentários:

Shilola disse...

Essa moça Luci parece mesmo ser tudo de bom, heim!?!?
Vou dar um pulo lá nos blogs pra conhecer um pouco mais! ;)
Bjocas, Rosi!
Carol

Amanda Zanqui disse...

Muito legal a entrevista com a Luci!! Muito boa a mensagem que ela passa pra gente. Bjs

Fabiana disse...

Que gostoso Rosi, adoro a Luci! Ela sempre tem ótimos textos no Vida.
Adorei as dicas dela de leitura, vou à procura de novas literaturas.
Bjs!

Luci Cardinelli disse...

Olá querida!

Eu que agradeço o convite, a confiança e o carinho. :)

Super obrigada e muito sucesso!

Que bom que estão gostando!

beijos e bom final de semana a todas!!!

Juh disse...

Adoreiiii.. A Luci parece ser show!!!

Queijo ;*

:: Nanda :: disse...

Eu fico envergonhada cada vez que me deparo com alguém que le muito.
Eu admiro muito mas não tenho esse habito.
Os poucos livros que li, eu adorei.. ano passado li a saga do crepusculo em um mês e li também A cabana.
Indico os cinco!

Assim como a Luci, eu adoro ir na Bienal do livro e incentivo muito meus sobrinhos a lerem..

Preciso me policiar para ler mais e aprender mais sobre literatura.

ótima entrevista!

bom fim de semana meninas.

beijos

Fla disse...

Que delícia de post Rosi.
Eu sou devoradora de livros também. O que cai na minha mão eu leio.
Adorei a lista de livros dela.
Parabéns Luci.
Beijos

Katia Bonfadini disse...

Oi, Rosi!!!! Estou de volta, menina!!!! Espero que seu Carnaval tenha sido ótimo!!!! Já conhecia a Luci e adorei a entrevista e a entrevistada! Quando vi a foto do livro "Pollyana", tive uma baita nostalgia! Adorei o livro! Também adoro ler e prefiro não-ficção e biografias. Agora estou lendo sobre uma menina iemenita que foi forçada a se casar com dez anos de idade, mas teve coragem e força suficientes para ir sozinha a um tribunal em um país extremamente machista e pedir ajuda. O relato é muito bom e ajuda a entender melhor a cultura do Iêmen. Beijão e um ótimo final de semana!

Gilson disse...

Rosi

Muito bacana a sua entrevista com a Luci, que é uma pessoa muito especial para mim.
Você sabe que a saudosa mãe dela, devorava livros e as vezes eu ficava bastante tempo conversando com ela, pois ela era uma pessoa de um conhecimento vasto e sabia transmitir com tanta naturalidade que a conversa com ela era super gostosa.
Mas com a Luci aprendi a gostar mais ainda de livros, digamos de passagem que alguns livros que tenho hoje, primeiro li emprestado dela, como a vida de São Francisco que ela citou e Médico de Corpo e de Alma que ela não citou.
A luci é supreendente, uma pessoa que te encanta, te conquista e fica difícil não ser amigo dela.
Parabéns pela entrevista.

Patrícia Pirota disse...

Ai que delícia essa entrevista, estrupícia!

Parabéns pela escolha da Luci! Sempre muito gostoso ler sobre o que ela tem a dizer...

Tenha um ótimo domingo!
Beijo procê!

Leticia disse...

Adorei a entrevista! Mesmo porque compartilho com ela o gosto pela leitura. Não desde tão pequena, talvez lá pelos 15 anos comecei a ler... e vira mania, passatempo e tudo mais.
Beijos
lelê

Alethéa disse...

A Luci é ótima, a entrevista ficou perfeita!

Lidiane Vasconcelos disse...

Sou da turma da Luci. Preciso gostar do livro e pronto! Estou nem aí se ele é bem visto, se é moda, ou qualquer coisa assim...