28 abril 2011

Abandono de bebês

Você, como eu, deve estar perplexa com as inúmeras notícias sobre abandono de bebês, não é mesmo?

Entre decidir ter um filho e engravidar, passei por um processo de dúvidas, sempre me questionei se teria condições financeiras, se meu companheiro seria um pai, um era o meu momento, enfim foi uma decisão muito bem pensada, construída e aceita. E tudo isso me fez aceitar as mudanças (físicas, psicológicas e financeiras), curtir cada fase e amar muito aquele ser que estava em meu ventre.

Entendo que nem todas mulheres passam por isso, muitas abreviam suas histórias e engravidam sem pensar por vários motivos. Aí é um passo para um filho não esperado e querido. Sei das diferenças sociais de nossa sociedade, sei das diferenças culturais e educacionais. Sim, não estou alheia a tudo. O que não consigo compreender, e confesso que já tentei por inúmeras vezes, o que leva alguém a preferir abandonar do que entregar um filho para adoção. Por que descartar esse pequeno ser como um objeto que não se quer mais e impor o risco da morte? 

Todas essas notícias me fazem chorar muito e tenho certeza que magoam  muita gente que tem um coração.Olho para meu filho e vejo em seus olhos toda sua inocência e incapacidade de se virar sozinho. Todos sabem que é trabalhoso cuidar de uma criança, o choro contínuo realmente irrita, mas nada nesse mundo justifica rejeitá-la tal forma que coloque sua vida em risco.

E essas crianças já nascem rejeitadas, e sabemos o quanto isso dói. O que nos consola é que há inúmeras famílias que anseiam por um filho e qualquer uma dessas fariam um lar feliz. Que poderiam dar a elas carinho, afeto, aconchego e proporcionando assim a essas crianças um patrimônio afetivo para toda a vida. Então por que escolher proporcionar felicidade?

Talvez vergonha da família, dos vizinhos, talvez. Talvez por que nessa pessoa não nasceu o sentimento gostoso de acalentar e proteger que toda mãe tem. Talvez porque o processo de adoção não é de conhecimento de todos e muitos não sabem que essa é uma escolha sem grandes questionamentos para quem o faz. Porém, muito mais vergonhoso é ser apontada na rua e nos meios de comunicação como deshumana, monstro ou qualquer adjetivo ruim. 

7 comentários:

✿ chica disse...

Fico p da cara quando vejop essas notíca...Revoltante gesto.Monstros!!! beijos,indignados,chica

Sandra Hellen disse...

Antes de ser mãe já tinha vontade de chorar quando via coisas como essa, e agora sendo mãe é um misto de raiva e dor.
Infelizmente muitas mulheres podem gerar um bebê, mas nem todas podem ser mães!!!

Beijos

Vanessa Beltrame disse...

Ai Rosi, sempre me perguntei isso tbm, sempre fiquei muito mal com tudo isso e hoje me dá mais raiva e vontade de adotar todos....
Eu não estava planejando ficar grávida quando fiquei, mas foi a melhor surpresa que tive na vida e já quero outro....
Eu amo ser mãe, acho que nasci para isso, e adoro ter uma família, não sei que tipo de ser humano pode jogar um bebê.


ps - estou trabalhando por isso tbm deixei de comentar com frequencia, vou ler sseu e-mail e vamos organizar esse encontro o mais breve possível.....

beijos

Elexina disse...

ROSI SEMPRE PENSO NISSO E TBM NAO ENTENDO...
RAUL AO CONTRARIO DO DUDU NAO FOI PLANEJADO, MAS DESDE O DIA QUE DESCONFIAMOS QUE ELE VIRIA, NOSSA VIDA GANHOU, PREOCUPAÇOES E NAO FORAM POUCAS VIU, MAS A ALEGRIA DE ESTARMOS GERANDO UM FILHO ERA IMENSA, E NUNCA PASSOU PELA MINHA CABEÇA ALGO COMO INTERROPER OU DEIXAR MEU FILHO JOGADO, VERDADE COMO VC DISSE O BRASIL É UM PAIS MUITO DESIGUAL, MAS NADA JUSTIFICA.

BJUS

Rose disse...

Rosi concordo plenamente com o seu ponto de vista!!!nada justifica o ato,mas como todo lado da moeda,temos que pensa o que leva uma mulher fazer isso!a falta de condiçoes,depressão pós parto,nada justifica mas explica, pensa comigo se todas as mulheres que não tem condições pudessa fazer uma ligadura de trompas,na rede publica sem tanta borocracia,não resolvereia parte dos problemas? e tambem as mulheres sofri muito nos hospitais publicos,fazem o parto "normal" de qualquer jeito deixando elas lá horas e horas, eu sei bem como é isso sofri muito com o meu primeiro filho,tive depressão pos parto,só não aconteceu nada com o meu filho pq tive o apoio da minha mãe.NÃO sou a favor a essa atitude,melhor dar do que fazer isso,mas agente tem que pensa um pouquinho antes de juga,pq cada caso é um caso,pq simplismente não quere o bb e joga fora!! é uma corvadia,mas temos que pensa o que leva elas a isso eu tambem sou mãe e choro todas as vezes que vejo. aqui em BH aconteceu outro dia,a mãe ja tinha 6 filhos e jogou o bb na caçamba de lixo as cameras de uma loja filmou tudo e ela foi reconhecida..beijosss

Andrea Fregnani disse...

É, Rosi, essas estórias de vida são bem tristes, muita gente despreparada para ter filhos, gerando vidas, e abandonando e outros cuidando mal ou melhor descuidando dos filhos que tem, nós e nossos bebês tem muito sorte,
bjs

Tati Carmo e Melo disse...

Rosi, havia pensado em postar sobre isso, tamanha é tb a minha revolta, a minha tristeza, a minha indignação. Antes essas atitudes já me causavam um horror enorme; hj ainda mais. Não há justificativa para tanta atrocidade.
Beijos